Aorta compra Meritia e inicia no exterior

31/03/2011 11:35

Menos de seis meses após comprar sua principal concorrente, a MobiMarket, a Aorta Entretenimento, especializada no desenvolvimento de aplicativos e conteúdos para dispositivos móveis, acaba de adquirir a Meritia.

A empresa adquirida provê soluções de mobilidade para o usuário final e, com a compra, a Aorta inicia sua expansão internacional, por meio de clientes já atendidos pela Meritia.

Tamanho da fonte: -A+A

Menos de seis meses após comprar sua principal concorrente, a MobiMarket, a Aorta Entretenimento, especializada no desenvolvimento de aplicativos e conteúdos para dispositivos móveis, acaba de adquirir a Meritia.

A empresa adquirida provê soluções de mobilidade para o usuário final e, com a compra, a Aorta inicia sua expansão internacional, por meio de clientes já atendidos pela Meritia.

Além disso, a transação incrementa a meta de faturamento da compradora, que para este ano projeta faturar R$ 15 milhões, R$ 5 milhões a mais do que em 2010.

A Meritia tem sede em Belo Horizonte e, com a negociação, o sócio-fundador da companhia, Luiz Claudio Pereira, será integrado ao quadro de sócios da Aorta, assumindo responsabilidades na área Comercial e de TI.

“As empresas são muito complementares. Enquanto nós nos especializamos em aplicativos para tablets e smartphones, principalmente no ambiente Apple, a Meritia trabalha mais fortemente com mobile sites e aplicativos com desenvolvimento Java, como BlackBerry e Android”, explica Antonio Carlos Soares, CEO da Aorta.

Juntando as plataformas, a meta do empresário é oferecer “um dos mais completos e versáteis sistemas de publicação em ambiente móvel em todo o mundo”.

A Meritia também agrega à carteira de clientes da Aorta clientes como iG, Terra, Abril, Fleury e UOL, além de diversas empresas do mercado de VAS, como Movile, PureBros, PlayPhone e FBiz.

Já fora do Brasil, a companhia atende a clientes como a Personal, operadora de celular argentina com mais de 16 milhões de assinantes.

Com escritórios em Belo Horizonte e São Paulo, a Aorta é produtora de conteúdo e aplicativos para dispositivos móveis.

Há seis anos no mercado e, agora, empregando 100 funcionários, a companhia atende a uma carteira de clientes que inclui todas as operadoras de telefonia do Brasil, além de agências de publicidade e marcas como Brahma, Skol, Bradesco, McDonalds, SporTV, GloboNews, Folha de S. Paulo e as mineradoras CSN e Ferrous.

Em novembro passado, quando anunciou a compra da MobiMarket, a empresa também divulgou que encerraria 2010 com mais de um milhão de aplicativos baixados em projetos para iPhone, iPad, Android, BlackBerry e Symbian.

Meta cumprida e, além disso, hoje 11 dos 25 aplicativos de notícias mais baixados da AppStore são da Aorta.

Veja também

Aorta compra MobiMarket: força total em apps

A Aorta Entretenimento, especializada no desenvolvimento de aplicativos e conteúdos para dispositivos móveis, anuncia a compra de uma de suas principais concorrentes, a MobiMarket.

Atualmente, são clientes da companhia adquirida marcas como O Estado de S. Paulo, Valor Econômico, O Globo, Caras e Mc Donalds.

Aorta quer chegar aos R$ 10 mi em 2010

A Aorta, empresa que atua no mercado de aplicativos para novas mídias, prevê crescimento de 150%, alcançando faturamento de R$ 10 milhões em 2010.

Neste mês os 26 aplicativos desenvolvidos pela empresa e disponíveis na AppStore atingiram a marca de meio milhão de downloads.

A companhia trabalha com clientes como Globo News, Jovem Pan, Bradesco, O Globo, Claro, Oi, Multishow e AmBev.

VTEX compra WX7 e quer liderar e-commerce

A VTEX acaba de comprar a WX7, especializada em gestão de projetos, por R$ 5 milhões.

Com a compra, a companhia fortalece o portfólio de soluções de comércio eletrônico, dando gás à estratégia de se tornar a maior empresa do ramo na América Latina.

Grupo Linx compra CustomBS

O Grupo Linx, sediado em São Paulo, anunciou a compra da gaúcha CustomBS, especializada em soluções para o varejo, nesta terça-feira, 29.

Os valores não foram revelados. O atual diretor geral da CustomBS,  Luís Gustavo Masiero, assumirá a direção da nova filial, que tem 50 clientes incluindo nomes como Lojas Lebes, Ughini e Obino.

eBay compra CSI Commerce por US$ 2,4 bi

O eBay, site de leilões pela Internet, acaba de comprar a CSI Commerce, fabricante de plataforma de comércio eletrônico e de serviços de marketing interativo, por US$ 2,4 bilhões.

O pagamento equivale a um prêmio de 51% sobre o valor das ações da CSI no encerramento do pregão da sexta-feira, 25, na Nasdaq – o equivalente a US$ 29,25 por ação diluída.

Polycom compra Accordent por US$ 50 mi

A Polycom, especializada em soluções de comunicações unificadas (UC), acaba de comprar a Accordent Technologies, fornecedoras de ferramentas de gerenciamento de conteúdo e transmissão de vídeo, por aproximadamente US$ 50 milhões à vista.

De acordo com avaliação da empresa analista de mercado Wainhouse Research, a compra amplia o mercado total da Polycom em US$ 500 milhões.

Sonda vai comprar concorrentes

Sonda vai mudar sua política de aquisições no Brasil em 2011.

Depois de comprar provedores de soluções complementares às sua própria oferta no ano passado, a empresa vai passar a adquirir concorrentes buscando fomentar crescimento inorgânico no país.

Nova compra do FB foca em mobilidade

A startup Snaptu, focada no desenvolvimento de aplicações web para celulares de baixo custo, está na mira do Facebook.

O site de relacionamentos deverá fechar a aquisição da companhia, fundada em 2007, em duas semanas, segundo informa a própria Snatpu no seu site oficial.

Intel compra egípcia SySDSoft e mira mobile

A Intel, por meio da sua unidade Intel Mobile Communications, acaba de adquirir a maior parte da SySDSoft, empresa do Cairo especializada em software para mobilidade.

A transação também incluiu a contratação de aproximadamente 100 dos engenheiros elétricos e cientistas de computação da empresa, que projeta soluções IP para os segmentos de pacotes de software e camada física, além de circuitos RF/analógicos embarcados em plataformas móveis.

Itautec reforça caixa para ir às compras

Pronta para ir às compras, a Itautec, controlada pela Itaúsa, está disposta a elevar o seu nível de endividamento de 40,7% em relação ao patrimônio líquido para 75%, saindo de um endividamento de R$ 209,2 milhões para R$ 385,5 milhões.

Em recursos próprios, a Itautec está disposta a investir em torno de R$ 180 milhões, informa o Valor Econômico nessa quarta-feira, 16.

J&F compra Matone

A J&F Participações, que controla a processadora de carnes JBS AS, acaba de comprar o gaúcho Banco Matone.

Segundo comunicado distribuído nesta segunda-feira, 14, em São Paulo, a J&F terá 60% da holding que controlará o banco - o Grupo Matone fica com os 40% restantes.

Ainda conforme o comunicado, o Banco JBS terá um aporte de R$ 200 milhões da J&F, enquanto o Banco Matone terá aporte de até R$ 100 milhões.

WD compra storage da Hitachi por US$ 4,3 bi

A fabricante de discos rígidos Western Digital assinou acordo definitivo para adquirir a Hitachi Global Storage Technologies, divisão de sistemas de armazenamento da fabricante japonesa.

O valor da compra é de aproximadamente US$ 4,3 bilhões.

Conforme os termos do acordo, a Western Digital pagará US$ 3,5 bilhões em dinheiro e transferirá à Hitachi 25 milhões de suas ações ordinárias, cujo valor é de cerca de US$ 750 milhões.

Teradata faz segunda compra em três meses

A Teradata comprou 89% da Aster Data Systems, da qual já detinha os outros 11%.

A nova transação exigiu investimento de US$ 263 milhões, em dinheiro.

A Áster Data é especializada em tecnologia para coleta de informações de clusters de servidores de dados, como weblogs e stream de cliques.

Foi a segunda aquisição realizada pela Teradata desde janeiro.

Nice compra Cybertech e receita sobe US$ 25 mi

A Nice Systems, israelense especializada em tecnologia para gravação de voz em contact centers, acaba de comprar a Cybertech, fornecedora de soluções de conformidade de gravação e aplicações de valor agregado, por US$ 60 milhões.

Com a aquisição, a Nice fortalece sua atuação no mercado de PMEs, além de acrescentar US$ 25 milhões à receita já em 2011.