As empresas de telecomunicações devem investir R$ 200 bilhões no Brasil até 2018, segundo cálculos da Anatel.

A projeção da agência é que daqui a oito anos o país tenha 160 milhões de acessos à Internet, sendo 120 milhões deles pela rede móvel. Além disso, no mesmo período quase todas as 45 milhões de linhas fixas locais estarão conectadas à web e 272 milhões de números celulares estarão habilitados.

De acordo com a análise da agência, a compra do controle da Vivo pela espanhola Telefónica e a entrada da Portugal Telecom na Oi marcam uma nova fase de investimentos do setor no país.

Os dois negócios movimentam R$ 25,7 bilhões – só o acordo entre Vivo e Telefónica envolveu R$ 17,2 bilhões, informa a Folha de São Paulo.

Conforme divulgado pela Telefônica, 60% dos € 7,5 bilhões pagos à PT pelos 50% da Brasilcell, controladora da Vivo, serão pagos após a aprovação da Anatel. O restante, virá em duas parcelas: R$ 1 bilhão no final de 2010 e R$ 2 bilhões em outubro de 2011.

Segundo informações da Folha, metade desse dinheiro será reinvestida no Brasil, porque a Portugal Telecom usará os recursos para injetar na Oi, da qual passa a deter 22,4%.

O interesse das teles no Brasil se justificam: entre os países com mais de 100 milhões de habitantes e PIB nominal acima de US$ 1 trilhão, o mercado brasileiro é o que mais se destaca em termos de crescimento.

Nos cálculos da PT, o Brasil deverá estar entre os quatro maiores do mundo, com um PIB de US$ 8,7 trilhões, em 2015.