O presidente da Net, José Antonio Félix, criticou duramente a proposta colocada em consulta pública pela Anatel para atualização da regulamentação do serviço de TV a cabo no país.

Segundo o jornal Valor Econômico, para Félix, a proposta beneficia as empresas de telefonia.

“O regulamento favorece abertamente os interesses da Oi”, frisou Félix, para quem as teles sempre puderam oferecer serviços de TV por assinatura, desde que por satélite. “As teles vão entrar só no filé. Não vão colocar cabo em áreas de baixo retorno”, acrescentou.

O executivo ressaltou que a Anatel considera que a Net tem Poder de Mercado Signficativo (PMS), mesmo com presença em apenas 96 cidades, contra 5.564 municípios atendidos pelas principais empresas de telefonia.

Por ter PMS, a empresa se vê obrigada a cumprir metas para atendimento de serviço de TV a cabo, ao passo que as concorrentes não terão amarras.

De acordo com o site do jornal, Félix acredita que as empresas de telefonia se sentem incomodadas pela concorrência de uma empresa criada para fornecer TV a cabo e que entrou nos setores de telefonia e banda larga.

“A Net incomodou na banda larga e na telefonia, que eram mercados cativos deles. A estratégia das teles vai ser entrar nos mercados de alto poder aquisitivo”, destacou.

Já a expectativa da Oi é que a regulamentação seja aprovada nos próximos meses e que as outorgas para autorizações de operação no mercado de TV a cabo sejam oferecidas pela agência reguladora ainda este ano.

Com isso, a Oi estaria apta a oferecer serviço de TV a cabo a partir do início do ano que vem.

Leia a matéria completa do site do Valor Econômico nos links relacionados abaixo.