Tamanho da fonte: -A+A

Já está aberto o cadastro para provedores de internet do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

O cadastro pode ser feito no site da estatal. Na página, um formulário solicitando informações sobre a infraestrutura bem como sobre os serviços prestados pelos provedores.

Segundo a Telebrás, os provedores parceiros terão que oferecer ao usuário final uma velocidade mínima de 512 kbps a um preço de R$ 35.

Desde que o Governo Federal anunciou a lista das 100 primeiras cidades a serem atendidas pelo programa, localizadas nos anéis Sudeste e Nordeste da rede, cerca de 550 provedores já sinalizaram interesse em participar do Programa Nacional de Banda Larga.

O presidente da Telebrás, Rogério Santanna, disse que é preciso estruturar essa demanda, que já chega a 30 Gbps, e verificar quais as condições de conexão e necessidades dos futuros parceiros da Telebrás.

O PNBL foi criado pelo governo com o objetivo de massificar o acesso à Internet em banda larga no Brasil.

Entre outras ações, o plano envolve o gerenciamento, pela Telebrás, de uma rede neutra que utilizará fibras ópticas pertencentes ao Sistema Eletrobrás e à Petrobrás, entre outros.

A Telebrás vai vender banda larga no atacado para operadoras e provedores de serviços na área, o que ampliará a concorrência e possibilitará a redução dos preços cobrados atualmente. O acesso ao usuário final só será feito diretamente pela empresa apenas e tão somente em localidades onde inexista oferta adequada desses serviços.

A meta do PNBL é levar banda larga de baixo custo e alta velocidade a 4.283 municípios localizados em 26 Estados, mais o Distrito Federal, atendendo a 88% da população brasileira até 2014.