O número de assinantes de 3G no Brasil até 2014 será de 107 milhões, segundo uma pesquisa da Qualcomm. Pelo estudo, o país é o segundo em crescimento deste mercado entre os emergentes, perdendo apenas para a China.

Conforme o levantamento, a taxa de crescimento desta tecnologia no Brasil será de 567% nos próximos quatro anos, ao passo que o índice da América Latina deverá ficar em 465%.

Só no ano que vem, o país deverá fechar com 35 milhões de assinantes de 3G, enquanto em outubro deste ano somou 16,9 milhões de clientes, segundo dados da Anatel.

Em todo o mundo, a projeção da Qualcomm é que a base de 3G mais do que dobre dentro dos próximos quatro anos, passando dos atuais 1,1 bilhão de usuários para 2,8 bilhões.

Entre os Brics, a Índia é o terceiro colocado no ranking da 3G, com previsão de crescer 168% até 2014.

Porém, Mansi diz que não dá para comparar o Brasil com o mercado chinês devido por causa da população de lá que é bem maior. Já a campeã China tem projeção de expansão de 640% em quatro anos.

Conforme avaliação da Qualcomm, o que move o mercado de 3G no Brasil é a queda de preços dos smartphones, que em um ano ficaram em torno de 32% mais baratos por aqui.

Além disso, aumentou a variedade de modelos: em setembro passado, a fabricante constatou que havia mais de 60 aparelhos diferentes no mercado nacional, e, com isso, os smartphones 3G representaram 42% dos equipamentos à venda naquele mês, informa o ComputerWorld.

O aumento de vendas para as classes A e B, bem como setor corporativo, também contribuem para aquecer a 3G no país.

Além disso, o crescimento do número de usuários de Internet da classe C é outro fator de crescimento.

A pesquisa da Qualcomm também analisa o que as operadoras deverão fazer para atender à crescente demanda da 3G. O conselho é o investimento em infraestrutura e evolução do HSPA+ (High-Speed Packet Access ), com incremento da taxa de transmissão.

Conforme o estudo, em 2011 o Brasil já terá a primeira operadora com essa tecnologia.

Hoje, das 81 empresas que atuam com esta plataforma em todo o mundo, três ficam na América Latina, e todas elas no Chile: Movistar, Claro e Entel.