GVT tem maior crescimento de sua história

23/04/2010 11:56

A GVT acaba de registrar o melhor primeiro trimestre de sua história, com receita líquida de R$ 513,4 milhões, 36,5% maior do que um ano antes, e recorde na adição de linhas à base de clientes – tanto em serviços de voz como de banda larga. Ao final de março, a operadora somou 3,1 milhões de linhas ativas.

Amos Genish

Tamanho da fonte: -A+A

A GVT acaba de registrar o melhor primeiro trimestre de sua história, com receita líquida de R$ 513,4 milhões, 36,5% maior do que um ano antes, e recorde na adição de linhas à base de clientes – tanto em serviços de voz como de banda larga. Ao final de março, a operadora somou 3,1 milhões de linhas ativas.

Entre janeiro e março deste ano, 301,4 mil novas linhas foram adicionadas à base da GVT, um crescimento de 59,9% em relação ao mesmo período de 2009. Do total, 132.392 são de voz, 78.465 de ADSL, 88.548 de dados corporativos e 8.205 de VoIP, com redução equivalente a 6.207 linhas no negócio de provedor de Internet grátis, que tem perdido espaço para a banda larga.

“A penetração de banda larga entre os clientes do segmento de varejo saltou de 70% para 80% em um ano. A utilização de velocidades de 10Mbps e acima continua evoluindo e atingiu 45% da base de clientes ao final de março contra 9% no mesmo período do ano passado”, conta o presidente da empresa, Amos Genish.

Ainda segundo ele, em vendas, a preferência pelas velocidades a partir de 10Mbps, chegou a 72% no fechamento do trimestre.

Ainda no 1T10, o Ebitda ajustado da empresa (resultado antes dos juros, Imposto de Renda, depreciação e amortização) aumentou 46,8%, chegando a R$ 207,1 milhões, o que representa 40,3% de margem e crescimento de 2,8 pontos percentuais sobre a margem do mesmo período de 2009.

O lucro líquido pro forma, desconsiderando a antecipação do pagamento da dívida em dólar (Sênior Notes) que venceria em junho de 2011, foi de R$ 60,4 milhões, 132% maior que no fechamento do primeiro trimestre do ano passado.

“O momento é de forte crescimento na economia brasileira e reflete positivamente no interesse do consumidor pelos nossos serviços e no maior volume de negócios realizados no setor empresarial”, analisa Genish.

Com isso, o executivo anuncia perspectivas otimistas para o restante do ano: a projeção da GVT é crescer 29% em receita líquida em 2010, com elevação de 35% no Ebitda ajustado, na comparação com 2009.

Aceleração do crescimento
Desde a implantação da portabilidade numérica,  a GVT tem mantido a liderança em números portados nas cidades em que opera.

Até o final de março, 61% de todos os números de telefones fixos portados migraram para a empresa, que fechou o trimestre com taxa de recepção/doação de aproximadamente 11:1.

Também no trimestre, a GVT realizou investimentos de R$ 172,6 milhões no país, 63,9% a mais do que no mesmo período do ano passado.

Entre janeiro e março, foram construídos 171.904 pontos de rede para atender ao plano de expansão geográfica da companhia, aumentando a cobertura nas cidades onde já opera.

O percentual de receita gerada pelas cidades fora da área original de atuação (Sul, Centro-Oeste e parte do Norte) saltou de 15,4% ao final de março de 2009 para 25,2% em março deste ano.

Parte dos acessos entregues no trimestre está em três novas cidades na região Nordeste lançadas em abril – Fortaleza, João Pessoa e Campina Grande. Juntos, os municípios somam 3,5 milhões de habitantes.

A implementação consumiu investimento de R$ 95,1 milhões na construção da rede com capacidade de 107 mil acessos de banda larga e de voz, o correspondente a 30% de cobertura geográfica dessas localidades.

Ainda este ano, a GVT se lançará em cidades adicionais no Sudeste e Nordeste do país. E para suportar o crescimento, a empresa aprovou ampliação de 25% no investimento previsto para 2010: em reunião do Conselho de Administração realizada na quinta-feira, 22, foram aprovados R$ 200 milhões adicionais.

Somado aos valores aprovados anteriormente divulgados, este montante acumula um total de R$1,1 bilhão em investimentos a serem realizados pela operadora até dezembro.

Presente em 89 cidades do Sul, Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste do país, a empresa opera, além da GVT, as marcas Vono e Pop.

Veja também

Banda larga: GVT com nova opção de pacote

A GVT anuncia o lançamento de uma linha de pacotes de telefonia e de banda larga para clientes residenciais, com valores entre R$ 109,90 e 149,90, conforme a combinação escolhida.

GVT mira RJ, SP e licença 4G
A aquisição pela francesa Vivendi animou a GVT.

A operadora, que já havia anunciado planos de entrar no mercado de TV paga ainda este ano, agora planeja lançar uma operação no Rio de Janeiro também em 2010.

Já para 2011, o plano é abrir em São Paulo, informa o jornal O Estado de São Paulo.
 
Outros planos da GVT incluem a aquisição de uma licença de telefonia móvel 4G, embora não haja definição de data para esta meta.
GVT vai lançar pacote de TV paga em 2010
A GVT vai lançar um pacote de TV por assinatura ainda em 2010.

A revelação foi feita pelo diretor-presidente da Vivendi, Jean-Bernard Lévy, em Paris, durante entrevista coletiva com jornalistas. A multinacional francesa comprou a empresa brasileira há três meses.

Lévy adiantou ainda que planeja investir pesado na expansão da rede de fibra óptica pelo Brasil, aumentando o número de estados em que opera.

O executivo não deu detalhes sobre datas, pacotes e seus preços.
Vivendi empresta € 250 mi para GVT
A GVT vai receber um empréstimo de € 250 milhões da sua controladora, a francesa Vivendi, anunciou a operadora nesta terça-feira, 23.

Cada saque terá o prazo de vencimento de cinco anos, e juros à taxa Euribor acrescida de 0,35 pontos percentuais ao ano. A Euribor é hoje de 0,9181% ao ano.
GVT chega a Ceará e Paraíba
A GVT anuncia nesta terça-feira, 23, a expansão de sua atuação no Nordeste com o início de suas operações em Fortaleza-CE, João Pessoa-PB e Campina Grande-PB.
GVT lança serviço de gerência de voz
A GVT acaba de anunciar a disponibilidade do serviço de monitoramento de voz nas ferramentas corporativas, antes restritas ao monitoramento de dados.

O serviço de gerência funciona sobre uma plataforma que centraliza informações de todos os sistemas de voz da operadora, formando um banco de dados disponível para o cliente via portal de gerência.
Vivendi deve fechar capital da GVT
Com intenção de assumir o controle total da GVT, a Vivendi está realizando uma oferta pública para comprar todas as ações remanescentes da operadora, que equivalem a 13,22% do capital.

Em comunicado enviado a Comissão de Valore Mobiliários, a Vivendi ofereceu R$ 56 por ação.

A oferta será realizada em leilão no sistema eletrônico de negociação da BM&FBovespa.
GVT manterá crescimento de 20% a 30%
A GVT seguirá crescendo a uma taxa anual de 20 a 30% pelo menos nos próximos dois a três anos, afirmou à Reuters nesta quinta-feira, 07, o presidente-executivo da Vivendi, controladora da empresa brasileira, Jean Bernard Levy.

No terceiro trimestre de 2009 (dado mais recente), o número de assinantes, a receita e a geração de caixa da GVT cresceram nessa faixa percentual, em relação ao mesmo intervalo de 2008.
Portabilidade faz um ano no RS. GVT é favorita
A portabilidade numérica, que permite ao usuário mudar de operadora sem alterar o número do telefone, completa um ano de vigência no Rio Grande do Sul. No período, a GVT foi a provedora de telefonia fixa e banda larga com maior incidência de pedidos por parte dos gaúchos.

Desde o início da portabilidade no estado em 08 de janeiro de 2009, 88 mil números de telefone fixo foram portados na região. Deste total, conforme a GVT, 49% foram para a operadora.