Levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) indica que o número de acessos à banda larga aumentou em 53% no Brasil entre janeiro de 2010 e o mesmo mês em 2011.

Foram 36,1 milhões de acessos à internet em alta velocidade registrados no último mês.

Segundo a Telebrasil, o total, que reúne o acesso fixo e móvel, equivale a 24 novas instalações por minuto no país nos últimos 12 meses.

O crescimento dos acessos móveis, em modems e terminais 3G, foi de 85%.

Os serviços de internet rápida são ofertados hoje em 88% dos municípios do país, um total de 4.897 cidades. Mais de 3 mil cidades ainda contam com uma única prestadora de serviço de acesso à banda larga, o que dificulta a redução de preços pela falta de competitividade.

Em cobertura, diz a Telebrasil, são 96% da população com possibilidade de acesso aos serviços.

Em janeiro, 88% dos municípios – a 4.897 cidades – no Brasil são atendidos por operadoras. No país, 1.551 municípios contam com pelo menos duas prestadoras de serviços de acesso à internet em alta velocidade. Destes, 1.035 têm menos de 50 mil habitantes.

Nos grandes centros – os 510 municípios que concentram 60% da população brasileira – há pelo menos três prestadoras de serviços.

E em 174 municípios, que concentram 86 milhões de habitantes, há pelo menos cinco prestadoras.

“Essa evolução tem sido vertiginosa, mesmo com a pesada carga tributária, que varia de 43% a 63% sobre o preço dos serviços e é recolhida diretamente aos cofres públicos, onerando o cidadão”, enfatiza a Telebrasil, em nota.

Além de reclamar do imposto, a entidade promete que “caso os impostos sejam reduzidos, os gastos dos usuários com esses serviços diminuirão na exata proporção da redução desses índices”.