Fiel ao discurso de interiorização dos serviços de telecomunicações no Brasil, o governo cobrará um plano de investimentos das operadoras de telefonia que quiserem entrar no mercado de TV paga.

A conta pode ser de R$ 60 bilhões em 10 anos.

Segundo matéria da Folha de S. Paulo dessa quinta-feira, 18, as empresas terão que apresentar um plano de investimentos.

O cálculo dos R$ 60 bilhões se baseia na meta de 30 milhões de acessos no país até 2021 – abrangendo 15% da população brasileira. Hoje, são 11 milhões de assinantes de serviços de TV por assinatura no país.

A intenção é garantir a qualidade dos serviços na mesma rede.

Conforme a Folha, as redes de cabos hoje não estão preparadas para suportar tantos serviços (telefonia, internet e TV). Somente as novas redes de fibras ópticas (que chegam até a casa do cliente) têm condições de oferecer um serviço desse tipo.

O projeto que libera o mercado de TV a cabo para as teles segue agora para sanção presidencial. Não deverá ter vetos já que contou com o empenho do próprio governo para que sua votação ocorresse.

De acordo com a Folha, a presidente terá até o ano que vem para sancionar o projeto.

Leia a matéria completa da Folha de S. Paulo (para assinantes) nos links relacionados abaixo.