Intel e MasterCard unem forças para melhorar a experiência dos consumidores com os pagamentos de compras online

A Intel e a MasterCard anunciam uma parceria para trabalho colaborativo no desenvolvimento e otimização de tecnologias de pagamento online.

O acordo inclui o PayPass da MasterCard e a Tecnologia de Proteção de Identidade da Intel, usada em soluções tanto de autenticação quanto de segurança baseada em hardware.

“Isso fornece maior segurança online contra malware e, quando usada com um leitor habilitado para nossa Tecnologia de Proteção de Identidade, permite pagar compras online com um simples toque no cartão, etiqueta ou smartphone habilitado para o PayPass em um ultrabook”, explica George Thangadurai, gerente de Serviços PC Client da Intel.

Pelo acordo, a MasterCard entra com expertise em compras e pagamentos eletrônicos, enquanto a Intel colabora com a tecnologia de segurança baseada em chip, para lançamento futuro de soluções inclusas em dispositivos Ultrabook e PCs.

Já Ed McLaughlin, chefe do departamento de Pagamentos Emergentes da MasterCard, destaca que o trabalho colaborativo é uma aposta em um mercado que só cresce.

O executivo se baseia em dados da Forrester Research, cuja pesquisa mais recente sobre o setor indica que as vendas online alcançaram US$ 176,2 bilhões no ano passado apenas nos EUA, e devem continuar crescendo a taxas percentuais de dois dígitos anualmente pelos próximos cinco anos.

“O comércio online é uma área-chave para a Intel e, por meio dessa parceria, vamos oferecer uma experiência personalizada e mais segura para este consumidor”, finaliza Thangadurai.

A MasterCard opera redes de processamento de pagamentos utilizadas por consumidores, instituições financeiras, comerciantes, governos e empresas de mais de 210 países.

Para a empresa, iniciativas de colaboração com fabricantes de hardware não são novidades: no ano passado, a Mastercard firmou com a Apple uma parceria que permitiu o uso do aplicativo MoneySend para transferência de dinheiro entre usuários de iPhone e iPad, nos Estados Unidos.

Já a Intel aposta no mercado de e-commerce para fomentar ainda mais seus negócios, que no último trimestre geraram receita de US$ 14,3 bilhões em todo o mundo, representando um crescimento de 29% em um período de 12 meses.

No trimestre, o lucro líquido da fabricante de chips subiu 17%, somando US$ 3,5 bilhões.