Antonio Carlos Pôrto, presidente da Datacom

A gaúcha Datacom deverá investir R$ 200 milhões em P&D e produção nos próximos cinco anos de olho no Programa Nacional de Banda Larga (PNBL).

Vencedora de uma licitação de R$ 110 milhões com a estatal encarregada do PNBL, a Telebrás, a empresa com matriz em Porto Alegre está construindo uma nova fábrica, com investimento de R$ 30 milhões, e vai investir outros R$ 170 milhões, nos próximos cinco anos.

“O objetivo é fornecer soluções dentro das dimensões exigidas pelo mercado de Telecom na expansão de banda larga no Brasil”, diz Antonio Carlos Pôrto, presidente da Datacom.

Segundo o executivo, somente a nova fábrica, em Eldorado do Sul, a 10 quilômetros da capital gaúcha, que terá 15% do investimento planejado, multiplicará por cinco a capacidade de produção da companhia.

Nova unidade, novos centros
A inauguração do novo complexo industrial e de P&D está prevista para o segundo semestre deste ano, a tempo de suportar, avalia Pôrto, o aumento na demanda prevista pelos investimentos na ampliação das redes de telecomunicações e de banda larga.

A nova fábrica terá, em sua primeira fase, 11 mil metros quadrados de área total construída em um terreno de 90 mil metros quadrados às margens da BR-290.  

Além dos investimentos em seu parque industrial, a empresa abriu e está ampliando dois novos centros de tecnologia na região sul – em Florianópolis (SC) e Santa Cruz do Sul (RS).

Com estes dois novos laboratórios, somados aos de Curitiba, Tecnopuc (RS) e da Matriz, a empresa mantém cinco unidades de P&D, nos três estados do Sul, com uma equipe de 310 engenheiros especializados no desenvolvimento de tecnologias aplicadas às soluções Carrier Ethernet.

Alta de 31,38%
Nos últimos cinco anos, a empresa já investiu mais de R$ 70 milhões em Pesquisa e Desenvolvimento.

Com empregos diretos de 650 funcionários, a empresa faturou R$ 137 milhões em 2010 e prevê uma receita superior a R$ 180 milhões para este ano.

“Devemos crescer puxados pelos investimentos das operadoras de telecomunicações e pelo novo contato com a Telebrás”, conclui o presidente.

Impulso do PNBL
Somente o contrato do PNBL assinado com a Telebrás equivale a 11,5% do total movimentado no ano passado.

Firmado em fevereiro, o acordo com a Telebrás foi o primeiro contrato assinado pela estatal com uma empresa do Rio Grande do Sul.

Serão comprados em torno de 750 switches de borda IP, usados para a parte de comutação da rede, apenas no primeiro contrato. No total da licitação, diz Pôrto, podem ser vendidos cerca de 5.000 switches.

A Datacom venceu pregão eletrônico com registro de preço cujo edital se enquadrou na Lei 12.349 de 15 de dezembro 2010, à época, MP 495, que dá preferência à indústria nacional em litações.

Especializada em desenvolvimento de soluções de produtos Metro Ethernet e SDH para provedores globais de serviços de Telecomunicações.