Dados da consultoria Teleco divulgados nessa segunda-feira, 07, mostram que o Brasil ainda engatinha no que diz respeito à disponibilidade de hot spopts Wi-Fi – centros de distribuição de sinal de internet sem fio.

Segundo informações da empresa JiWire, utilizadas pela Teleco na análise, são 4.035 pontos de acessos ativados no país – um para cada 49,8 mil habitantes.

Em outros mercados, como Estados Unidos e Reino Unido, a proporção é de um hot spots para cada 3,3 mil e 990 habitantes, respectivamente.

Mesmo a China, com a maior população mundial, e que supera o número de brasileiros em seis vezes, há um ponto de acesso gratuito para cada 13 mil cidadãos.

São Paulo lidera
Por aqui, a maior concentração de acessos está em São Paulo, onde há 2.490 hot spots, seguido por
Rio de Janeiro (456), Paraná ( 155), Distrito Federal (151), Rio Grande do Sul (136) e Minas Gerais (91).

Não há no estudo do Teleco qualquer referência aos hot spots nos outros estados.

A pouca ativação de hot spots no país – o estudo do Teleco mostra que em 2007, por exemplo, havia mais pontos ativados em São Paulo (2.733), do que existem hoje – revela o “pouco interesse das operadoras de telecomunicações em investir na área”, diz a consultoria.

Em Porto Alegre, há pelo menos nove pontos de acesso gratuito em lugares públicos, mantidos pela Companhia de Processamento de Dados Município de Porto Alegre (Procempa).

Eles estão nos parques Moinhos de Vento e Farroupilha (no Espelho D’água, Monumento ao Expedicionário e Café do Lago), praças da Alfândega e Esplanada da Restinga, no Mercado Público, Paço Municipal, Centro Municipal de Cultura e Usina do Gasômetro.