A Telium Networks anunciou oficialmente a compra da gaúcha Datadrome nesta terça-feira, 06.

O negócio, que já havia sido adiantado com exclusividade pelo Baguete Diário na sexta-feira, 02, não teve seu valor divulgado.

Com a aquisição, a Telium incorpora uma carteira de clientes de datacenter com 260 nomes, a maior parte deles (cerca de 75%) no Rio Grande do Sul.

Os serviços de IDC corporativo representam 70% da clientela da Datadrome, que deve fechar 2011 com um faturamento na casa dos R$ 2,5 milhões. O restante é divido entre hosting compartilhado e serviços de e-mail marketing.

A Telium espera fechar o ano com um faturamento – excluindo a compra da Datadrome - de R$ 22 milhões uma alta de cerca de 5% frente ao obtido em 2010. A carteira de clientes, que inclui também serviços de telecomunicações, chega a 5,5 mil nomes.

A expansão da receita deve passar por novas aquisições. “Já fizemos cinco compras desde a fundação em 2004 e esperamos fazer outras três em 2012”, adianta o presidente da Telium, Nivaldo Custódio.

A Telium tem data centers próprios em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas e Santos, além de estrutura nos Estados Unidos, em Miami. Custódio afirma que a empresa deve investir R$ 5 milhões de recursos próprios na ampliação da estrutura em 2011.

O empresário descarta a possibilidade da venda de uma parte da empresa a investidores, a exemplo do que foi feito na líder de mercado Locaweb. “Não fez e não faz parte dos nossos planos”, assegura Custódio.

Os sócios da Datadrome permanecem à frente da companhia, fundada em 2006 por executivos rodados no mercado de hospedagem como Alceu Cheuiche, Rodrigo Sica e Diogo Goebel, profissionais com passagem por Cresce.net, Terra, Brasil Telecom e Plug In.

Os rumores sobre a possibilidade do negócio começaram em 2009, na época dando o comprador em série UOL – que naquele momento já havia adquirido Plug In, Digiweb e DHC - como o possível interessado.

Desde então, os negócios da companhia parecem ter desacelerado: a projeção de faturamento para aquele ano eram de R$ 3 milhões, abaixo do projetado para 2011.