Tamanho da fonte: -A+A

A Nielsen, instituto norte-americano de auditoria e consultoria que em setembro de 2011 anunciou sua entrada na área de medição de audiência de TV aberta no Brasil, desistiu do segmento.

Segundo informações da colunista Keila Jimenez, da Folha de S.Paulo, o problema está no tempo de vínculo que a empresa exigia dos canais.

A Nielsen estabelecia como exigência contratos de, no mínimo, sete anos.

A alegação é de que vir ao Brasil para medir as audiências seria caro, o que acarreta a necessidade de contratos que garantam a não desistência do cliente.

As emissoras não aceitaram a exigência, segundo Keila.

Com isso, o Ibope segue sendo exclusivo na medição de audiências das TVs abertas no país.

Entretanto, a companhia mantém uma joint venture com a Nielsen, o Ibope Nielsen Online, há 11 anos.

A joint atua por meio de um software proprietário  instalado em um painel de internautas representativo da população brasileira, com acesso à web no domicílio ou no trabalho.

A partir dessa amostra, a empresa detalha o comportamento dos usuários do meio digital.

A Nielsen também conta com três escritórios próprios no Brasil - em Porto Alegre, Cotia e Rio de Janeiro.

A oferta inclui serviços de análises de mercado, mensurações e pesquisas voltadas ao mercado consumidor, entre outras.

Com sede em Nova York, a multi está presente em mais de 100 países.