Paulo Cesar Teixeira

Tamanho da fonte: -A+A

Com apenas 50% da ambiciosa meta de chegar a 2.832 municípios na sua cobertura 3G até o final desse ano atingida, a Vivo não parece estar muito preocupada com a defasagem de cidades conectadas.

Segundo informado pelo presidente da Unidade de Mercado Individual da Vivo, Paulo Cesar Teixeira, em Porto Alegre nessa terça-feira, 05, a empresa hoje leva a banda larga móvel a 1.444 cidades do país, pouco mais da metade do pretendido para o final do ano.

“Mantemos a meta porque somos otimistas. Além disso, não é uma nova instalação por município. Muitas vezes um site conecta várias cidades”, avaliou Teixeira.

O número atual de municípios representa apenas 2,41% de avanço da meta final para 2010, que deveria ser praticamente dobrada em 2011.

Feitos os cálculos, se tivesse atingido em tempo a meta para o ano passado, a empresa teria conectado 34 cidades em seis meses, e ainda teria que avançar para 1.388 novos locais até 31 dezembro de 2011.

Insistir no cumprimento da meta, apesar dos números desfavoráveis, não é novidade para a Vivo. Em novembro do ano passado, com 33% da meta de expansão do 3G para 2010 ainda por completar, a Vivo não abandonava a meta.

Então, a operadora chegava a 938 cidades com a tecnologia.

Segundo o presidente da empresa na época, Roberto Lima, o ritmo deve ser intensificado neste último mês e meio, impulsionado pelo aporte de infraestrutura.

“Nós não jogamos a toalha na ideia de ter 1.410 porque se começa a ter mais linhas de transmissão, e mais sites (municípios) são migrados por dia”, explicou o executivo.

De outubro de 2008 a junho de 2010 a operadora conectou um município por dia. Entre julho e setembro, o número subiu para dois. “Agora nós já temos mais de 400 instalações por semana, o que representa um aumento na média diária de cidades”, completou Lima.

Conforme o presidente, a falta de mão de obra qualificada no setor e a carência de chips e outros componentes necessários à indústria de telecom frearam o desempenho.

Apesar das defasagens em instalações, mesmo se a Vivo, hoje, não conecta-se nenhuma outra cidade, já estaria à frente da concorrência, diz Teixeira.

“A Vivo conecta mais municípios do que todas as outas operadoras juntas”, enfatiza.

Com o 3G, a operadora chega a 74% da população brasileira. No Rio Grande do Sul, são 156 municípios, chegando a 82% dos gaúchos com a banda larga móvel em 3G.

Na voz, a Vivo hoje chega a 90% da população brasileira, com 3.663 municípios abrangidos.

No mercado gaúcho, tal percentual chega a 98%.