Osmar PedrozoFoto: Divulgação

A SoftDesign fechou contrato para desenvolver um software que irá integrar e facilitar as negociações entre as empresas ligadas a ABICalçados. 

 

 
No valor aproximado de R$ 500 mil, o projeto envolve a criação de uma solução de código aberto que irá pertencer à associação, ficando disponível tanto online quanto ofline para empresas afiliadas.
 
A manutenção será assegurada pela SoftDesign. 
 
Conforme Osmar Pedrozo, um dos diretores da empresa porto-alegrense, o portal possibilitará que mesmo os menores fabricantes de calçados do estado inovem sua comunicação com a cadeia logística e industrial do setor.
 
“O portal vai permitir que a pequena empresa realize negócios com a indústria falando a mesma língua na troca das mensagens, ainda que não tenha um nível de informatização alto”, ressalta o executivo. 
 
A parceria com a ABICalçados se deu através do Grupo de Otimização Logística do Setor Calçadista (Grupo Gol), em tratativas que começaram ainda em 2010. 
 
De lá para cá, foram sendo trabalhados anteprojetos técnico, que concorreram com diversas outras empresas, até a definição, neste mês de março. 
 
“Requisitos técnicos como a arquitetura da solução, experiência e qualificação da empresa no desenvolvimento como fábrica de software, além da qualificação e certificações do corpo funcional foram decisivos”, conta Pedrozo. 
 
O desenvolvimento do projeto tem duração prevista de dez meses e vai envolver cerca de 12 profissionais da SoftDesign, que vão trabalhar da sede da companhia, em Alegre.
 
A ABICalçados tem sede em Novo Hamburgo e representa indústrias de calçados e cabedais que, segundo informações de seu site, somaram de US$ 1,5 bilhão em exportações no ano de 2010 (último divulgado), somando produção de 814 milhões de pares.
 
O contrato com a associação é mais um dos passos que marca a trajetória de mudança no foco da SoftDesign: com uma carteira tradicionalmente forrada de clientes da área pública, a companhia vem desde o ano passado ampliando a mira na iniciativa privada. 
 
Assim, a carteira de contratos como Procergs, Corsan e HCPA divide o espaço com AG2 Publicis, Centro Clínico Gaúcho, PT Inovação Brasil, Fundação Carlos Chagas, Acxiom e ADP, entre vários outros.
 
Com tudo isso, a meta é faturar em torno de R$ 5,2 milhões, com crescimento médio de 30% sobre 2011, quando as vendas somaram R$ 3,9 milhões.
 
Outro plano da SoftDesign para este ano é evoluir na certificação MPS.BR, da qual detém o nível G.
 
“Vamos iniciar a busca pelo próximo nível em breve”, anuncia Pedrozo.
 
Além disso, a empresa que em novembro comemora 15 anos de mercado também projeta diversificar o portfólio. 
 
Por hora, nada é detalhado, mas a meta é anunciar ao menos duas novas parcerias, uma para a oferta de um novo serviço e outra para o desenvolvimento de um produto próprio, também este ano.