O ex-presidente da Oracle, Charles Philips, foi nomeado nesta segunda-feira, 25, como CEO da Infor, concorrente direta da empresa de Larry Ellison em ERP.

Na Oracle, Phillips foi substituído na por Mark Hurd, ex-CEO da HP, há pouco mais de um mês.

No novo cargo, o executivo assume com a missão de preparar o time de vendas para a nova geração de aplicações de negócios da companhia, com lançamento previsto para janeiro de 2011, informa o ComputerWorld.

Recentemente, a Infor mudou sua plataforma para se alinhar com as tecnologias de colaboração, gerenciamento de identidade e aplicações de internet.

A empresa fatura anualmente US$ 2 bilhões e atende a cerca de 70 mil clientes.

Balaio de escândalos
Em janeiro deste ano, Phillips foi envolvido em um escândalo quando uma mulher, que alegou ter sido sua amante, expôs fotos do então presidente da Oracle abraçado a ela por vários pontos de Nova York, Atlanta e São Francisco.

Na época, Phillips admitiu ter vivido um relacionamento extra-conjugal de oito anos e meio com a tal mulher - YaVaughnie Wilkins - mas afirmou que tudo estava acabado e que, quanto a seu casamento, um processo de divórcio havia sido aberto em 2008.

Já Hurd, que assumiu o cargo deixado pelo executivo na Oracle, pediu demissão da HP em agosto deste ano, após ser acusado de assédio sexual.

O caso veio à tona quando um conselheiro externo da HP enviou uma carta à empresa, em nome da suposta vítima, em 29 de junho. A partir daí, o Conselho de Administração interno da empresa iniciou a investigação que, embora não tenha apontado confirmação das denúncias, indicou que Hurd "quebrou alguns dos padrões” da companhia na condução de negócios.

Com isso, o conselho aceitou a demissão do CEO, que em seguida foi contatado pela Oracle, gerando tensão que culminou em uma disputa judicial entre as duas empresas.

Em setembro passado, Oracle e HP entraram em acordo, encerrando o processo. Para por fim ao embate, Hurd concordou em devolver cerca de US$ 14 milhões em ações, que  havia recebido como parte de seu pacote de indenização gerada pela saída da HP, e em manter intacto um acordo de sigilo firmado com a antiga empregadora à época de sua demissão.