Após as repercussões a respeito da adoção da tecnologia UEFI nos fabricantes que quiserem o selo de compatibilidade com o Windows 8, a Microsoft resolveu manifestar-se oficialmente.

Especulou-se que, com o recurso de secure boot (inicialização segura), não seria possível instalar outros sistemas operacionais no computador, sem uma chave de autorização.

Quem levantou a hipótese foi um desenvolvedor Red Hat.

“São comentários que sintetizam cenários equivocados”, disse o chefe do Windows, Steven Sinofsky.

Segundo o desenvolvedor do sistema operacional, o objetivo da Microsoft é apenas o de oferecer flexibilidade e segurança aos seus clientes, dando a eles autonomia sobre decisões que digam respeito aos seus produtos.

Em sua defesa, Sinofsky cita o tablet da Samsung, com uma versão de testes do Windows 8, distribuído a desenvolvedores na semana passada, durante conferência nos Estados Unidos.

Nesse equipamento, é possível desativar o secure boot e seus efeitos.

Nas entrelinhas, Sinofsky quis dizer que tudo o que importa para a empresa é a prevenção de ataques e a possibilidade de ataques explorando o sistema de inicialização.

Entre as imagens do seu post, ele publicou uma tela de administração da BIOS em que basta desabilitar a opção de secure boot.