Fernando Peixoto, CEO da Pixeon

A Intel Capital, divisão de investimentos da fabricante de chips, anuncia sua entrada no mercado de TI para saúde na América Latina com um aporte na catarinense Pixeon.

Conforme David Thomas, diretor Executivo da Intel Capital para a região, a tecnologia da empresa de Florianópolis tem em aberto um mercado de mais de 14,5 mil hospitais e clínicas no Brasil.

A companhia é especializada em PACS (da sigla em inglês para Sistema de Gestão de Imagens Médicas) e com o aporte de valor não revelado projeta impulsionar o crescimento, esperado em 35% para 2011, dobrar a equipe de vendas, hoje formada por 15 pessoas, e se expandir na América Latina.

“Hoje, já fixamos um representante que atende a um contrato na Argentina”, conta o CEO da Pixeon, Fernando Peixoto. “A partir de 2013, vamos para outros países”, completa.

Antes disso, outra meta é também dobrar a equipe de desenvolvimento, chegando a 40 colaboradores, que se dedicarão à criação de novas tecnologias, com foco em cloud computing, mobilidade e visualização 3D.

P&D = mais investimentos
Além do aporte da Intel, a estratégia de investimento em P&D da Pixeon também se baseia em uma injeção de R$ 5 milhões, dos quais R$ 3 milhões são provenientes de subsídios da Finep e CNPq e o restante é de caixa próprio.

O montante será destinado, até o fim de 2013, a incrementos da oferta de diagnóstico médico digital.

Hoje, o PACS Aurora – carro-chefe da empresa – já é usado em mais de 150 bases médicas, incluindo nomes como Unimeds Porto Alegre e Rio de Janeiro, Hospital São Lucas da PUC-RS, Santa Casa de Porto Alegre e outros de diversos estados.

“Um dos principais benefícios da solução é a redução de custos com filmes médicos convencionais, que podem ser eliminados em quase todo processo de atendimento”, afirma Peixoto. “Nossa tecnologia permite diminuir em até 80% a necessidade de impressão de exames em filmes”, garante.

Com os novos investimentos, a meta é tornar a tecnologia ainda mais vantajosa e, para tanto, a estratégia também inclui a aproximação com universidades.

Da academia para o consultório
Hoje, já estão em andamento dois projetos do gênero.

Um deles, com a PUC-RS, focado na área de tele ultrassonografia.
Outro, com a Universidade Federal de Uberlândia, onde o projeto em andamento é a criação de um portal de distribuição de exames e laudos.

Corporativo
Parcerias empresariais também estão na mira, a exemplo da que já ocorre com a Sábia.

“Esta parceria trata do desenvolvimento de tecnologias para plataformas móveis e através de equipamentos touchscreen”, conta Peixoto.

Nova estrutura
Com o aporte da Intel Capital, a Pixeon também reestruturou sua composição administrativa.

O braço investidor tornou-se acionista minoritário da companhia catarinense.

Além disso, Claudia Goulart, ex-CEO da GE Heathcare na América Latina, veio para o conselho administrativo, na posição de conselheira independente.

As demais cadeiras serão ocupadas pelos representantes dos sócios majoritários da empresa – o próprio Peixoto, Iomani Engelmann, diretor de Negócios da empresa, e mais um representante da Intel Capital.

A empresa
No total, a Pixeon conta, hoje, com 60 colaboradores diretos.

A empresa de Florianópolis é, segundo Peixoto, a maior do segmento de PACS da América Latina, atendendo a clientes de grande, médio e pequeno porte.

O carro-chefe
Com o PACS Aurora, é possível digitalizar, armazenar e transmitir imagens geradas em qualquer equipamento de diagnóstico.

De estrutura modular, a ferramenta tem componentes que atuam desde a captação, armazenamento e manipulação de exames, até a interpretação, gestão, compartilhamento, comparação de laudos, reconstrução de imagens em 2D e 3D.

A solução também agrega recursos para compartilhamento entre computadores de uma mesma rede e pela Internet, além de gerenciador de gravação em CDS e DVDs.