A Microsoft encerrou seu programa anti-pirataria para Office, que checava a legitimidade da cópia utilizada pelos usuários.

Conforme divulgado pela companhia, o motivo é que "os propósitos da ação foram completados".

Batizado de "Vantagens do Office Genuíno", o programa funcionou da versão XP da suíte de escritório até a 2007.

Em 2006, a Microsoft restringiu o download de complementos aos usuários de cópias legítimas e, em 2007, passou a pedir uma senha de ativação àqueles que requisitassem certas atualizações.

Já em 2008 passou a notificar os usuários de versões piratas para que adquirissem uma cópia legal do software, informa o ComputerWorld.

Agora, a MS não dá mais detalhes sobre o fim do programa, apenas declara, via comunicado, que novos investimentos estão sendo feitos para "melhorar a interação com clientes e ajudar as vítimas de fraudes”.

Entretanto, o fim do programa anti-pirataria não significa que está aberta a temporada de adoção do Office ilegal.

A companhia vai manter medidas como a requisição, aos usuários, de inserção de senha de 25 caracteres para ativar o software, na instalação, com permissão apenas de funcionalidades reduzidas na ausência da ativação desta senha.