HP: primeira a suportar cloud printing do Google

18/04/2011 16:59

A HP anuncia sua tecnologia HP e-print como a primeira do mercado a suportar a impressão direta da nuvem do Google.

A tecnologia, desenvolvida no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da HP Brasil, situado no TecnoPuc, em Porto Alegre, permite a usuários de cloud do Google imprimir sem a necessidade de um drive de impressão ou de computador conectado à impressora.

Fernando Lewis

Tamanho da fonte: -A+A

A HP anuncia sua tecnologia HP e-print como a primeira do mercado a suportar a impressão direta da nuvem do Google.

A tecnologia, desenvolvida no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da HP Brasil, situado no TecnoPuc, em Porto Alegre, permite a usuários de cloud do Google imprimir sem a necessidade de um drive de impressão ou de computador conectado à impressora.

É possível fazer os trabalhos a partir de qualquer device que suporte os aplicativos em nuvem de impressão do Google, incluindo Gmail e Google Docs para celulares, Chrome OS e aplicações de terceiros.

“Nosso centro no Tecnopuc tem liderado o desenvolvimento de componentes chave da solução ePrint nos últimos dois anos, como resposta à demanda de mercado por mobilidade”, destaca Cirano Silveira, diretor da unidade de P&D porto-alegrense.

Conforme o executivo, a combinação entre a nuvem de impressão do Google e a tecnologia HP ePrint é um serviço focado tanto no mercado corporativo quanto doméstico.

“Para usar o HP ePrint, basta que o usuário tenha um único endereço de e-mail do habilitador da tecnologia HP ePrint Photosmart, Officejet ou LaserJetPro”, afirma ele. “Só isso já provê a disponibilidade de imprimir usando a aplicação”, complementa.

A tecnologia de impressão foi lançada pela HP em outubro do ano passado.

A então novidade ampliou para usuários residenciais, pequenas e médias empresas os recursos de cloud printing vendidos pela companhia para o segmento de grandes corporações desde o início de 2010.

Expansão baseada no preço: a oferta da HP e-Printing começava em R$ 399, com a impressora Pohtosmart eAiO, capaz de imprimir até 29 páginas por minuto (ppm) em preto e branco e até 23 ppm coloridas.

Já a mais cara - R$ 1.799 – é a Laserjet Pro CM1415FNW, focada no SMB.

O equipamento traz touch screen e capacidade de impressão de 33 ppm em PB e 32 em cores, com  bandeja de entrada para 150 folhas, ADF para 35 folhas e bandeja de saída para 100 folhas.

Além disso, as impressoras e-Print vêm com Web Apps, aplicativos que permitem acesso a conteúdos como desenhos, palavras cruzadas, fotos e outros.

Os usuários também podem baixar mais apps no ePrint Center, pelo site relacionado abaixo.

Com a tecnologia de cloud printing, a meta da HP é abocanhar um mercado que, segundo estimativas divulgadas pelo vice-presidente do grupo de Imagem e Impressão da empresa, Fernando Lewis, deve crescer dez vezes até 2012.

"Dados apontam que as impressões via Internet crescerão 35% até lá”, destacou Lewis. “Já no segmento 'creative', a expansão deverá ser de 33% e, via e-mail, de 15%", acrescenta.

Lewis ressalta, ainda, que as impressoras da linha e-Print voltadas ao mercado residencial e SMB também concentram funções de digitalização, recepção e impressão de imagens e documentos em formatos diversos, contando com conexão sem fio, além de fax.

Outro recurso é a localização da impressora mais próxima ao usuário por GPS.

A HP também fez lançamentos da linha ePrint para o setor de artes gráficas, mais especificamente o segmento técnico - arquitetura, engenharia e construção civil.

"Com esta tecnologia um profissional pode, a partir de um canteiro de obras, fazer fotos, detalhar relatórios, e enviá-los para impressão", destacou Lewis.

O Brasil é um dos três países onde a HP manufatura impressoras no mundo. A planta, terceirizada pela Frextronics, fica em Sorocaba e emprega 7,5 mil colaboradores, atendendo também ao mercado do Mercosul com capacidade de fabricação de 12 mil máquinas por dia.

Desde o início do contrato com a Flextronics, em 1998, a HP já produziu 20 milhões de impressoras no Brasil.

Veja também

HP: cloud printing from RS

A HP lançou para o mercado doméstico e de pequenas e médias empresas nesta quarta-feira, 20, a tecnologia de impressão e-Print, que  disponbiliza para um público maior os recursos de cloud printing vendidos no mercado corporativo desde o início do ano.

O desenvolvimento da novidade iniciou no centro da empresa em Porto Alegre, que emprega cerca de 300 pessoas aplicadas a projetos destinados aos laboratórios e centros produtivos da companhia em todo o mundo.

Google manda impressão para a nuvem

A Google apresentou na sexta-feira, 16, o protótipo de um projeto que dispensará drivers de impressora para que os documentos sejam impressos.

A funcionalidade fará parte do sistema operacional da empresa, o Chrome OS, e permitirá trabalhar com "qualquer impressora, a partir de qualquer programa em qualquer dispositivo", segundo um post no blog oficial da empresa.

Batizado de Google Cloud Print, o projeto está em desenvolvimento e não há previsão de lançamento.
 

Unisys: cloud Google para governo dos EUA

A Unisys foi contratada para criar uma plataforma de e-mail e colaboração na nuvem com base em aplicativos Google para Administração Geral de Serviços dos Estados Unidos (GSA), entidade que dá suporte a operações básicas de outas agências governamentais americanas.

Google cresce 27%, mas não anima

O faturamento do Google aumentou 27% no primeiro trimestre de 2011, em relação ao mesmo período do ano passado, ficando em US$ 8,58 bilhões.

O lucro da companhia foi de US$ 8,08 por ação.

Apesar do avanço, analistas de mercado mostraram-se insatisfeitos com o resultado. As expectativas de Wall Street, por exemplo, previam ganhos na casa dos US$ 8,12 por ação.

Google ofereceu US$ 10 bi pelo Twitter

Mais uma grande empresa de tecnologia tentou e não levou o Twitter.

Matéria da revista Fortune revela que o Google chegou a fazer uma oferta de US$ 10 bilhões pelo Twitter em meados de setembro de 2010.

O não do microblog não é exclusividade da empresa de Larry Page.

Criador do Android sai do Google

Jonathan Rosenberg, um dos criadores da plataforma Android, deixou o Google. Até essa terça-feira, 05, Rosenberg era vice-presidente sênior de gerenciamento de produtos.

Com a demissão anunciada, Rosenberg declarou a um jornal norte-americano que pretende se dedicar mais à família, e que trabalhará como consultor a partir de junho, dada do seu desligamento oficial do Google.

Os planos do ex-googler, no entanto, não eram para já.

Dedalus: Google Apps para AlphaGraphics

A rede de franquias de comunicação visual AlphaGraphics contratou a Dedalus para implementar o serviço Google Apps for Business na empresa em todo o Brasil.

Plataforma de colaboração e  mensagens do Google, o conjunto de ferramentas garantirá aos franqueados e funcionários acesso a serviços de alta disponibilidade, estáveis, e acessíveis em dispositivos móveis.

Um ás do Google AdWords na Dynamo

O campo-grandense de 19 anos Renan Baret achou um jeito de ganhar dinheiro com a sua paixão.

Quer dizer: achou não, foi achado.