Tamanho da fonte: -A+A

A True Access Consulting, empresa do Grupo TBA com foco em soluções e serviços de segurança da informação, lança uma solução de assinatura digital no modelo de SaaS – Sign as a Service.

A nova oferta garante a segurança de todo o processo de geração e armazenamento dos certificados eletrônicos, assim como uso de documentos digitais autênticos, com validade jurídica, segundo Celso Souza, presidente da True Access.
 
"A solução é regulamentada pela ICP-Brasil", destaca o executivo. "A segurança das informações é garantida pelo DINAMO, HSM de fabricação nossa que está presente em diversos data centers do país", complementa.
 
Esse conjunto de Dinamos, segundo ele, tem a capacidade de gerar e armazenar milhões de assinaturas digitais instantâneas.
 
O sistema funciona como um cofre virtual para proteção total dos arquivos armazenados e, dessa forma, é possível criptografar todos os dados.
Após a assinatura, o arquivo não mais poderá ser alterado sem que esta seja invalidada.
 
"Com a solução, a empresa passa a reduzir os custos operacionais e aumentar a agilidade nos processos de exijam a assinatura de documentos, pois elimina os documentos em papel, reduz o tempo para colher assinaturas físicas de cada pessoa e se adequa às normas e legislação”, comenta Souza.
 
O novo serviço da True Access já está disponível e pronto para uso no Sistema de Pagamentos Brasileiro, na Central de Compensação de Cheques do Banco Central, nos contratos eletrônicos, nos documentos em padrão XML, planilhas eletrônicas, correios eletrônicos da Web, entre outros.
 
Conforme Souza, a empresa que adotar a solução paga pelo uso, como serviço, de acordo com as próprias necessidades.
 
"Trata-se de um produto para qualquer segmento de mercado, como bancos, indústrias, empresas de menor porte e até cartórios", destaca o presidente. 
 
A True Access Consulting atua com parceiros como CheckPoint, Nokia, Cisco e IBM/ISS, entre outras.
 
O portfólio de clientes inclui nomes como Banco Votorantim, Bradesco,  Banco do Brasil, BM&Bovespa, CEF e Itaú.