Tamanho da fonte: -A+A

Estudo da consultoria Gartner indica que as ofertas em nuvem para BI responderão por apenas 3% da receita do setor em 2013.

“A necessidade de análise não se enquadra a muitos requerimentos de organizações”, diz o vice-presidente de pesquisa do Gartner, Andreas Bitterer.

Para ele, o futuro próximo para BI é desconexo entre as tendências do mercado de TI em geral.

A consultoria afirma também que, até 2014, menos de 30% das iniciativas de BI irão alinhar métricas com diretrizes de negócios empresariais, tido como o principal desafio deste segmento da TI.

Segundo o instituto, as iniciativas de BI serão baseadas em um modelo organizacional que equilibra entregas centralizadas e descentralizadas.

Bitterer explica que os programadores de BI tem raízes nos recursos analíticos do negócio. Este modelo funciona bem em entregar necessidades específicas de cada departamento, mas sofre de inconsistência de definições e medidas de dados referentes a uma empresa por completo.

A centralização, entretanto, impede uma agilidade e familiaridade do modelo descentralizado – por isso a necessidade de uma maneira híbrida para ganhar tempo e agilidade.