A filial porto-alegrense da paulista Bertini fecha seu primeiro ano de atuação como braço de atendimento da companhia para a América Latina/Central, com faturamento na casa dos R$ 2,5 milhões e meta de dobrar tanto a receita quanto a equipe em 2012.

Hoje, são dez profissionais na unidade, que devido ao posicionamento estrategicamente próximo ao Cone Sul já assumiu projetos como o de implantação do Oracle EBS – seu carro-chefe - na operação sul americana da ADT, empresa do grupo americano Tyco.

O trabalho inclui implantações no Chile, Uruguai e Argentina, e não foi o único atendido pela operação.

“Também fechamos um contrato de service desk na Colômbia, que será replicado pelo cliente em outros sete países, incluindo Argentina, Equador, México, entre outros”, conta Eduardo Hahn, gaúcho que comanda a Bertini Porto Alegre.

Para 2012, segundo ele, a projeção é fechar ao menos dez novos contratos em Oracle EBS, e é por conta desta demanda estimada que a equipe deverá ser duplicada, incluindo contratações de profissionais de língua espanhola, que virão de seus países para a filial gaúcha.

"Todo nosso atendimento será sempre a partir de Porto Alegre”, assegura Hahn.

Carro-chefe do portfólio da Bertini, as soluções da Oracle rendem não só projetos de implementação, mas também de atualização e serviços.

Hoje, por exemplo, estão em vias de fechamento dois contratos de upgrade de aplicativos da suíte EBS da release 11 para 12, em clientes do Paraná, ambos setor de indústria.

Service desk é outra área que também tem rendido bons frutos: em 2011, foram cinco contratos na Bertini Porto Alegre.

Além de Oracle, a companhia também trabalha com outros dois parceiros: Synchro, em implantações de software na área fiscal, e a americana Solix, com quem o “namoro” começou no Oracle Open World de 2010.

“As empresas se conheceram no evento, e, no começo deste ano, firmamos a parceria, que permite oferecer uma solução de extração e migração segura de dados e históricos”, conta Hahn. “A solução da Solix é especializada em integração com ERP, especialmente Oracle”, completa.

Empresão

Além da filial gaúcha, a Bertini tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Chile.

Na área de Oracle, a operação brasileira também fechou outros grandes contratos ao longo de 2011, como uma implantação do EBS na espanhola Prosegur, que projeta unificar o ERP de sua matriz e filiais na América Latina e Europa.
 
“O Brasil foi escolhido como base de rollout do projeto por corresponder ao maior volume de negócio realizado pela Prosegur na região, sendo o responsável por colocar os demais países no mesmo sistema de operação”, afirma Gilberto Amorim, diretor de Tecnologia da Bertini do Brasil.
 
De acordo com ele, a padronização envolveu setores de contabilidade, compras, inventário, estoque e processos, compras e aprovações, eliminando problemas de fechamento de fundo fixo em 72 bases no Brasil.
 
“Em seis meses a base brasiliera ficou pronta e seguiu para o rollout na Argentina, Paraguai, Uruguai e Peru. Ainda está em andamento o Chile, Colômbia e México”, destaca Amorim.
 
Outro case recente é o da Fameccanica, multinacional italiana instalada no Brasil que contratou a Bertini para o rollout do EBS da versão 11.510 e implantação da solução fiscal Synchro para a unidade brasileira, responsável por todo o mercado da América Latina.
 
Fabricante de máquinas de grande porte para confecção de produtos de higiene e saúde, a companhia precisava fazer o rollout do “design solution” do ERP da filial chinesa para sua nova unidade no Brasil, localizada em São José dos Campos.
 
“Transmitir os dados de forma segura foi o primeiro passo. Era necessário garantir também o menor impacto operacional e trabalhar com o mínimo de customizações possíveis, já que o sistema será modelo para implantação nas plantas da Itália e EUA”, explica Emiliano Marco Daniele, Financial Manager da Fameccanica Brasil.
 
Segundo Éric Machado, gerente de Projetos da Bertini do Brasil, participaram da implantação cerca de 30 pessoas, além de funcionários da Fameccanica China e da Fameccanica Data.
 
“Também trabalhamos com a parceira Synchro, cujas soluções fiscais se adaptam a qualquer ERP e são 100% core, o que ajudou no andamento rápido de todo o processo”, comemora Machado.
 
Após a implementação do ERP, a Fameccanica passou a emitir relatórios contábeis que seguem a padronização já utilizada pelo grupo, conciliando todas as informações entre as unidades, conta Daniele.
 
Também este ano, a Bertini implantou o Oracle Demantra na Líder Aviação, fabricante de soluções personalizadas em aviação executiva.
 
A companhia adotou o sistema para garantir projeções de negócios baseadas em históricos passados de consumos de peças de manutenção das aeronaves.
 
A ferramenta é parte do projeto Advanced Planning, desenvolvido pela Bertini, para otimizar atividades de administração e planejamento de materiais para o ambiente de produção da Líder.
 
“Por meio do Oracle Demantra, integrado às ferramentas de planejamento avançado do Oracle EBS, é possível gerar previsões de demandas futuras de materiais baseadas em consumo, tendências e fórmulas, projeções de vendas, gerenciamento de estoque”, ressalta João Carlos Campos, diretor de TI da empresa de aviação.
 
Agora, a meta é replicar o projeto para outras unidades, como as de manutenção de aeronaves e operações de helicópteros, projeta ele.
 
Carteira e portfólio variados
Há 16 anos no mercado, a Bertini do Brasil emprega 230 colaboradores, que atendem a uma carteira geral de 200 clientes, formada por nomes como DHL, GE, Cobra Tecnologia e Xerox, entre outros.  
 
Além de Oracle e soluções dos demais parceiros, o portfólio da companhia inclui, ainda, serviços de fábrica de software, consultoria e outsourcing.