Tamanho da fonte: -A+A

A Autodesk encerrou o terceiro trimestre do ano fiscal de 2012 com receita de US$ 549 milhões, aumento de 15% sobre o mesmo período do ano anterior.

A margem operacional GAAP foi de 16%, em comparação com 15% no terceiro trimestre do ano fiscal de 2011, enquanto ganhos diluídos por ação GAAP ficaram em US$ 0,32, sobre os US$ 0,23 registrados um ano atrás.

Conforme Carl Bass, presidente e CEO da Autodesk, o crescimento da receita foi impulsionado por uma combinação entre aumento da carteira de clientes com “controles contínuos de custos”, que “resultaram em uma melhora saudável da lucratividade e do fluxo de caixa das operações”.

O executivo destaca a expansão de dois dígitos na receita da companhia em todas as regiões geográficas.

Na região EMEA, por exemplo, o faturamento foi de US$ 202 milhões, alta de 10% ano/ano.

Já nas Américas, a receita ficou em US$ 200 milhões, aumento anual de 12%.

Na Ásia-Pacífico, o valor chegou a US$ 146 milhões, expansão de 28%, enquanto a receita das economias emergentes foi de US$ 87 milhões, aumento de 15% ano/ano.

E a companhia já apresenta projeções para o ano fiscal 2013.

A perspectiva é que a receita líquida aumente pelo menos 10% em comparação ao ano fiscal de 2012, com margem operacional GAAP se expandindo cerca de 150 pontos básicos.

A Autodesk é especializada em software 3D de projeto, engenharia e entretenimento.

A carteira de clientes reúne nomes dos setores de manufatura, arquitetura, construção e mídia, incluindo os 16 últimos ganhadores do Oscar na categoria de melhores efeitos especiais.