Scopus Tecnologia, empresa de TI controlada pelo Bradesco, acaba de completar um ano de operação no México com receita local de US$ 1 milhão. 

 

 
Nada mal, já que no geral das operações, a Scopus encerrou o ano de 2011 com faturamento de R$ 569 milhões, aumento de 28% sobre 2010.
 
No México, a empresa mantém três unidades,na capital, em Guadalajara e Monterrey. 
Conforme Mauro Cremm, superintendente executivo da Scopus, a operação atende a clientes como Bradescard, Low Cost  e as fabricantes de equipamentos Lexmark e Okidata.
 
“Estamos negociando a prestação de serviços para outros clientes com atuação naquele país”, afirma o executivo. 
 
No Brasil a companhia também vem se expandindo: no fim de 2011, anunciou a abertura de um novo prédio para a matriz paulista, uma sede em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, e duas regionais, em São Paulo e Cuiabá.
 
Com isso, passou a contar com matriz e mais 154 pontos de atendimento próprios no país.
 
Sul!
Nesta estrutura, destaca-se a região Sul, onde há unidades em Porto Alegre, Caxias, Passo Fundo, Pelotas, Santa Maria, Santo Ângelo e São Borja (RS), Maringá, Curitiba, Cascavel, Umuarama, Guarapuava, Foz do Iguaçu e Londrina (PR), Florianópolis, Blumenau, Chapecó, Joaçaba, Joinville, Lages e Tubarão (SC).
 
Ao todo, a Scopus emprega cerca de 3,5 mil colaboradores, atuando em consultoria, field services, help desk, W-Lan, staging, logística, instalação e outras áreas.
 
A carteira de clientes geral inclui nomes como Banco Ibi, braço financeiro da rede de lojas C&A que foi comprado pelo Bradesco; e a fabricante de impressoras Lexmark, entre outros, todos de grande porte.