A Copel projeta investimento de R$ 486 milhões para garantir o fornecimento de energia elétrica no Paraná durante a Copa do Mundo de 2014.

A companhia vai adquirir geradores móveis, que minimizam o tempo de desligamento em contingências e permitem atender solicitações emergenciais de aumento da demanda.

Além disso, vai aumentar a rede de suprimento de cargas vinculadas aos eventos da Copa 2014.

Conforme o secretário paranaense para Assuntos da Copa, Mario Celso Cunha, os investimentos miram além do mundial de futebol.

“É um legado que a Copa deixará para a população do Paraná”, afirma ele.

A Copel projeta investimento de R$ 486 milhões para garantir o fornecimento de energia elétrica no Paraná durante a Copa do Mundo de 2014.

A companhia vai adquirir geradores móveis, que minimizam o tempo de desligamento em contingências e permitem atender solicitações emergenciais de aumento da demanda.

Além disso, vai aumentar a rede de suprimento de cargas vinculadas aos eventos da Copa 2014.

Conforme o secretário paranaense para Assuntos da Copa, Mario Celso Cunha, os investimentos miram além do mundial de futebol.

“É um legado que a Copa deixará para a população do Paraná”, afirma ele.

Foco na TI
Além de investir em seu negócio principal, a Copel também demonstra há anos interesse na área de TI.

Em fevereiro deste ano, por exemplo, a companhia anunciou sua entrada no mercado de banda extra larga na internet, com velocidade de transmissão de 100 Mbps, baseada em estrutura própria de 17 mil quilômetros de fibra ótica.

Com investimento de R$ 100 milhões, que será destinado à interligação de repartições públicas estaduais e redes empresariais à atual rede da companhia, o projeto começou por Curitiba, mas a meta é atender a todos os municípios do Paraná até 2014.

Além disso, a Copel investiu, só em 2010, R$ 80 milhões em TI, em um projeto dividido entre dois consórcios, um focado em ERP, no qual participaram SAP, Ingram Micro, Core Technologies e CSC; e outro voltado a billing, que reuniu Elucid e Ação Informática.

Ambas iniciativas usam software de banco de dados, servidores e storages IBM.

O projeto foi desenvolvido já prevendo um crescimento de 50% na infraestrutura de TI ao longo dos cinco anos de ciclo de vida do contrato.

Paraná de olho na Copa
Segundo nota da Prefeitura de Curitiba divulgada nesta sexta-feira, 29, não é só a companhia de energia elétrica que já apresenta planos de investimentos para atender às demandas da Copa.

O Aeroporto Afonso Pena, por exemplo, vai ampliar o estacionamento de veículos, em uma obra que deve ser entregue ainda em dezembro deste ano.

A nova estrutura vai aumentar a quantidade de vagas de 670 para 2,2 mil.

Também está no plano a construção de um edifício garagem, com 3.015 vagas, no terminal, que fica em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba.

Uma câmara temática da Copa, que reúne 23 entidades do Paraná, também debate, no momento, outros investimentos focados no evento esportivo.

Entre eles, investimentos para ampliação dos serviços de táxi da cidade.