Hospital Moinhos de Vento: TI cheia de saúde!

29/07/2011 13:40

O Hospital Moinhos de Vento vai investir R$ 3,5 milhões em TI este ano.

O aporte vai permitir que a estrutura de tecnologia acompanhe a expansão da instituição porto-alegrense, que só este ano aumentou de 333 para 377 o número de leitos, com previsão de chegar a 390 até dezembro, além de ampliar a maternidade para três andares.

Mário Torcato

Tamanho da fonte: -A+A

O Hospital Moinhos de Vento vai investir R$ 3,5 milhões em TI este ano.

O aporte vai permitir que a estrutura de tecnologia acompanhe a expansão da instituição porto-alegrense, que só este ano aumentou de 333 para 377 o número de leitos, com previsão de chegar a 390 até dezembro, além de ampliar a maternidade para três andares.

A expansão exigiu, por exemplo, ampliação da área de armazenamento e do parque de desktops: no que vai de ano, o HMV adquiriu um storage e nove servidores Dell, virtualizou outros 30 servers em um projeto com a Gruppen e comprou 200 novos PCs da Positivo.

Do orçamento total destinado à TI, R$ 1,1 milhão vai para o desenvolvimento de um novo sistema Rispacs, focado no tratamento de imagens médicas.

Hoje, o hospital já usa uma solução do tipo, mas vai migrar para outra, da Carestream, que permitirá disponibilizar exames por imagem à toda a rede interna.

Com isso, os médicos da casa poderão avaliar e laudar os exames a partir de seus próprios computadores, disponibilizando os resultados para os pacientes muito mais rapidamente.

Só para este sistema foram dedicados dois dos servidores Dell, além de um storage, do parque adquirido este ano.

Outros R$ 160 mil serão destinados a um software para gestão de doses unitárias na farmácia do hospital.

A solução já está em desenvolvimento pela MV, que fornece o ERP utilizado pela instituição desde 2007, e vai ajudar a gerir a expedição das exatas doses de medicações prescritas pelos médicos para cada paciente.

A MV também vem trabalhando na avaliação de outro módulo para o HMV, este focado em classificação de risco no setor de emergência.

Uma ferramenta para controle da área de rouparia também está no escopo.

“Também estamos em processo de aquisição de 54 palmtops  MC75 da Motorola, nos quais será instalado um aplicativo da MV para checagem à beira de leito”, explica o gestor de TI do hospital, Mário Torcato.

Segundo ele, o piloto da solução já está em funcionamento em dois palms. A meta é estar com todos os 54 em uso até o fim deste ano.

E os investimentos na TI não param: o HMV também deu o pontapé inicial na digitalização de 100% de seus prontuários, que hoje são armazenados em papel em um depósito localizado em um prédio específico para esta função, à parte do hospital.

O contrato para o projeto de GED já foi fechado com a Orion, de São Paulo, e a previsão é de conclusão da digitalização no segundo semestre de 2011.

“Com o tempo, nossa meta é ter tudo digitalizado, eliminando os prontuários em papel. Depois disso, iniciaremos a recuperação de legado”, conta Torcato. “É um trabalho extenso e que exige cuidado, afinal, são 84 anos de atendimento”, complementa.

Ainda para este ano, outro projeto está previsto na TI da instituição gaúcha: a virtualização de desktops, principalmente focada nas unidades remotas, localizadas na Restinga e no shopping Iguatemi.

“Deverão ser virtualizados em torno de 100 desktops”, finaliza o gerente de TI.

Na Restinga também está em estudo desde agora a estrutura de rede para o novo hospital que o HMV irá inaugurar no bairro em 2013.

Equipe
O time interno de TI do Moinhos de Vento conta com 20 pessoas, incluindo oito desenvolvedores que trabalham em aplicativos para demandas específicas, não abrangidas pelo portfólio dos fornecedores.

Os colaboradores também prestam suporte de primeiro nível.

Conforme Torcato, que está no HMV há cinco anos, o desenvolvimento interno utiliza plataforma .Net.

Além disso, todas as soluções de backoffice da instituição são Microsoft. Já o banco de dados é o Oracle.

Que saúde!
Só no setor de software para gestão hospitalar, a TI para a área de saúde deverá crescer seis vezes nos próximos cinco anos.

O dado foi apurado pelo jornal Valor Econômico junto a fabricantes do mercado brasileiro.

Conforme a reportagem, o segmento de software de gestão hospitalar responde, hoje, por 2% da indústria de software nacional, movimentando R$ 500 milhões por ano.

Veja também

HMV: R$ 1,3 mi em gestão de imagem digital

O Hospital Moinhos de Vento acaba de investir R$ 1,3 milhão na implementação de uma nova tecnologia para transmissão de imagens médicas que, além de integrar o processo de diagnóstico por imagem no hospital e em sua Unidade no shopping Iguatemi, promete aumentar a produtividade das equipes internas em até 30%.

Mãe de Deus: virtualização é saúde!

O Sistema de Saúde Mãe de Deus está em vias de padronizar a base de sistemas de todos os seus hospitais, espalhados por Porto Alegre, Torres, Capão da Canoa, Campo Bom, Taquara, Santo Antonio da Patrulha e Canoas.
 

MV cresce 20% e quer faturar 50% mais

A MV fechou 2010 com crescimento de 20% no faturamento, em relação aos cerca de R$ 70 milhões faturados em 2009.

No ano que passou, a empresa de Porto Alegre, que mantém fábricas de software em Passo Fundo e Recife, além de unidades em Belo Horizonte, Fortaleza, Vitória, Rio de Janeiro e São Paulo, somou 60 novos clientes à carteira.

Carteira recheada

POA: hospitais podem comprar online de graça

O Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (Sindihospa) firmou uma parceria com a paulista Bionexo para adoção da plataforma de negócios eletrônicos da companhia, focada na área hospitalar.

Pelo acordo, a instalação da solução sairá de graça caso cinco hospitais adquiram a ferramenta, que permite a realização de compras de insumos diversos com economia de até 14%.

Hospital Moinhos: crescimento pautado no BSC
A Symnetics, consultoria especializada em gestão de estratégia, assumiu a revisão dos processos, planejamentos e ações do Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre.

Utilizando metodologia Balanced Scorecard, a instituição pretende estar, dentro de quatro meses, com todos os projetos integrados a uma visão de longo prazo para alcance de metas.
MV: Green para acabar com papel na saúde

Com investimento de R$ 2 milhões e meta de fechar 50 contratos até o fim de 2012, a porto-alegrense MV Sistemas lança uma nova empresa, a Green Soluções sem Papel.

A companhia, que tem administração separada, funcionando como um braço da MV, é uma integradora da própria companhia, além de Lexmark e Perceptive.

Diebold: software, hardware e serviço à saúde

A Diebold Brasil, que, segundo dados próprios, lidera o mercado de automação bancária no país, fabricando 100% das urnas eletrônicas usadas no país,apresenta lançamentos focados na vertical de saúde, em que passou a concentrar esforços há cerca de dois anos.

MV e Honeywell: PDA para a saúde

A MV, porto-alegrense especializada em sistemas de gestão de saúde, acaba de homologar um dos PDAs da Honeywell Scanning & Mobility, o Dolphin 9700hc.

O equipamento, projetado especificamente para a área de saúde, é componente de uma solução da MV destinada à administração de medicamentos em clínicas e hospitais.

TI na saúde: 51% dos dados desprotegidos

51% das empresas da área de saúde não têm preocupação com perda ou roubo de informações.

HBSIS e E&E: joint venture para saúde

A HBSIS, de Blumenau, e o Grupo E&E Administração e Consultoria em Planos de Saúde, de Indaiatuba-SP, acabam de formar uma joint venture, criando a Person.

A nova empresa, focada em soluções para inteligência em saúde, vai fornecer um sistema integrado de informações para gestão de recursos humanos nesta área em empresas de diversos setores.

MV: saúde no iPhone e papel zero

A porto-alegrense MV Sistemas está investindo R$ 2 milhões em uma solução de BI para iPhone e iPad.

O desenvolvimento tem parceria das universidades de Passo Fundo e Federal de Pernambuco. A versão móvel do BI será aplicada à gestão de três áreas da saúde: clínica-assistencial, gestão hospitalar e logística.

SulAmérica e Orizon: TI para a saúde

A seguradora SulAmérica Saúde firmou uma parceria com a integradora Orizon para o lançamento de uma solução voltada à digitalização e transmissão eletrônica de documentos assinados digitalmente.

O sistema se integra aos ERPs utilizados por prestadores de serviços de saúde, como hospitais, clínicas, laboratórios e operadoras de planos, contando com certificação digital desenvolvida pela seguradora.

GE investe em saúde na AL

A GE Healthcare, unidade de saúde da General Eletric, anuncia que a região da América Latina passa a ser um pólo independente, diretamente ligada à matriz.

Em 2010 o faturamento da unidade na região foi 38% superior ao obtido em 2009.