As indústrias direcionadas à produção de energia eólica e solar fotovoltaica, do Rio de Janeiro, terão isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

O decreto foi assinado pelo governador do estado carioca, Sérgio Cabral, na última segunda-feira, 26,e tem por meta, segundo o secretário do Meio Ambiente, Carlos Minc, quadruplicar o uso dessas energias no Rio de Janeiro até 2030.

De acordo com a Agência Brasil, desonerar tais impostos pode representar queda de até 25% nos custos de equipamentos. Já que hoje a maioria é importada e a ideia é atrair mais empresas ao Rio de Janeiro.

Apesar do uso de energia alternativa ser muito baixo no país, o governo carioca visa reduzir, até 2030, 65% da emissão de gases de efeito estufa e 11 milhões de toneladas de gás carbônico.

Hoje, esse número representa todas as emissões de dióxido de carbono do setor de transportes e o dobro de todas as emissões do setor energético, segundo informa a Secretaria do Ambiente.