Foto: Divulgação / Caseyworld, Flickr

Uma vendedora do Bradesco Vida e Previdência em Minas Gerais acaba de receber em segundo grau uma indenização de R$ 30 mil por assédio moral no trabalho.


Segundo nota do Tribunal Regional do Trabalho 3ª Região, as chefias do departamento adotaram uma prática inusitada de motivação: disparar tiros de balas de borracha tendo como alvo fotos os vendedores que não atingiam as metas.


A vendedora teria sofrido ainda humilhações por mão constituir uma empresa para trabalhar como PJ. A nota do TRT não entra em detalhes, o que, considerando o método balístico de motivação, não deixa de ser um pouco assustador.