Jorge Gerdau. Foto: Agência Brasil

Jorge Gerdau Johannpeter, presidente do conselho de administração da Gerdau, levantou a bandeira do aumento do investimento em tecnologia durante apresentação no chamado Diálogos CDES, evento organizado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do governo gaúcho nesta segunda-feira, 26.

O empresário gaúcho comparou “limitações estruturais” do Rio Grande do Sul como a taxa de natalidade baixa e a ausência de novas fronteiras agrícolas, que determinariam a necessidade de mais tecnologia para ganhar competitividade com o orçamento baixo de órgãos como a Fundação de Ciência e Tecnologia e a Secretaria de Ciência e Tecnologia.

“Vocês acham que papai do céu dará tecnologia para o Rio Grande do Sul?”, brincou um tanto a sério Gerdau. “Se o estado depende de tecnologia, precisa investir em tecnologia”, disse o empresário a uma audiência que incluía o governador Tarso Genro (PT-RS), meia dúzia de secretários de primeiro escalão e o seu seu filho André Bier Gerdau Johannpeter.

Gerdau, que chegou a ser cotado como ministeriável no começo da administração Dilma Rousseff (PT) e atualmente lidera a Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade do governo, não deixou passar a oportunidade de colocar o dedo na ferida, expondo pontos de vista contrários aos defendidos pelo governo estadual.

O empresário defendeu parcerias privadas para expandir o saneamento básico, citando dados que colocam o Rio Grande do Sul como o 20º no ranking brasileiro do assunto - “ao lado do Piauí”, frisou Gerdau - quando o governo estadual tem feito esforços para combater a adoção do modelo em cidades do interior.

Por outro lado, Gerdau elogiou os esforços de Genro para levar adiante uma reforma da previdência dos servidores públicos, atualmente em discussão no judiciário.

“Imagine o que daria para fazer com mais R$ 5,5 bilhões no orçamento do estado governador”, comentou Gerdau, citando o valor do déficit anual da previdência dos servidores gaúchos.