Tamanho da fonte: -A+A

A presidente Dilma Rousseff (PT) prometeu reduzir a carga tributária do país, em entrevista exclusiva à revista Veja deste domingo, 25.

Dilma mencionou uma reunião que teve com empresários na qual ouviu a reclamação de que “os impostos cobrados no Brasil inviabilizam as melhores iniciativas e impedem a competição em nível de igualdade no mundo” e disse que concordava com a queixa.

A presidente não deu indicativos na entrevista de como deve ser conduzida a desoneração, nem a partir de quando. No final do ano passado, o governo federal aprovou o Plano Brasil Maior, com desonerações tributárias na folha de pagamentos aos segmentos de TI, móveis, têxteis e calçados.

A iniciativa recebeu críticas de setores não beneficiados, que pedem medidas mais abrangentes, e também de parte dos próprios beneficiados, para os quais a troca de 20% sobre a folha de pagamento por uma alíquota sobre o faturamento não foi um bom negócio.

Na entrevista à Veja, Dilma estabeleceu a meta de elevar o investimento real dos atuais 20% para 24% do PIB e garantiu que o “governo vai investir e gerar o ambiente de negócios para que isso ocorra”.

A presidente também enfatizou que o Brasil deve se “defender atacando” e deu um recado direto para quem espera medidas protecionistas para as empresas nacionais, inclusive citando um exemplo bastante próximo aos empresários de TI: a reserva de mercado de informática.

“A reserva de mercado de computadores atrasou a modernização do parque industrial brasileiro e nos privou de tecnologias essenciais. Não vamos repetir esse erro”, afirmou Dilma.