Carlos Heinen. Foto: CIC Caxias

Tamanho da fonte: -A+A

O presidente da Câmara de Indústria, Comércio e serviços de Caxias do Sul (CIC), Carlos Heinen, criticou a política econômica do governo federal durante palestra no 15º Seminário de Boas Práticas, realizado nesta quinta-feira, 22.

 
Para Heinen, a perda de competitividade da indústria brasileira é um problema interno, e não consequência apenas do contexto internacional e da importação de produtos da Ásia. 
 
“Houve um retrocesso nos incentivos para se produzir no Brasil. O governo ficou sentado em cima das commodities, mas essa escolha não nos torna fortes, nos torna um país fraco”, fulminou o presidente da CIC. 
 
Sócio-fundador da Vidroforte, Heinen destacou a queda de representatividade da indústria no PIB brasileiro de 30% há 30 anos para 16% no ano passado, com perspectiva de queda para abaixo de 15% em 2012. 
 
O empresário pediu “medidas para resguardar todos os setores da indústria, e não apenas alguns como o governo tem feito”, em uma menção ao recentemente aprovado plano Brasil Maior, que garantiu desonerações tributárias na folha de pagamentos aos segmentos de TI, móveis, têxteis e calçados. 
 
“O governo é lento na tomada de decisões, faz curativos na economia”, criticou Heinen.