CRP Companhia de Participações, Sebrae-RS e Badesul criaram um fundo de R$ 100 milhões para financiar empresas, com participações minoritárias nas companhias.

O presidente do Badesul, Marcelo Lopes, diz que o setor de tecnologia é um dos do que deverão ser mais beneficiados com o novo fundo.

“O Badesul entrou neste processo como uma ação da política industrial, uma forma não tradicional de apoiar empresas com potencial de crescimento”, explicou Lopes.

De acordo com o diretor-superintende da CRP, Clóvis Meurer, a expectativa é em um período de dois anos aplicar os recursos nas empresas que se candidatarem, sem concentração em apenas um setor.

“O fundo é multissetorial. Os setores com mais potencial são o elétrico, o eletrônico, de tecnologia da informação e de serviços”, explicou Meurer.

Segundo o secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI), Mauro Knijnik, os recursos serão canalizados também para outros empreendimentos com potencial de crescimento e geração de empregos.

O fundo CRP Empreendedor é venture capital (avaliação de risco). Sua primeira etapa de captação foi concluída com R$ 53 milhões comprometidos.

Os investidores do Fundo CRP Empreendedor, além do Sebrae/RS (R$ 8 milhões), do Badesul (R$ 10 milhões) e da CRP Companhia de Participações (R$ 1 milhão), são: a Previ (até R$ 25 milhões), o Banco Latinoamericano de Desenvolvimento, da Venezuela (R$ 11 milhões) e a Nossa Caixa (R$ 10 milhões).

O CRP é um FIP que tem como perfil de investimento empresas de pequeno e médio porte, com faturamento de até R$ 150 milhões no ano anterior ao aporte.

Entre os atendidos pelo CRP no Rio Grande do Sul estão a Lupatech, AG2, Conectt, Teikon e Uni5.