O governo brasileiro reduziu de 5% para 4,5% a expectativa para o crescimento real da atividade econômica em 2011, ao mesmo tempo em que elevou a projeção para a inflação, que foi de 5% para 5,7%.

Conforme divulgado pelo Ministério do Planejamento, os novos números se dão em função da “pressão dos preços” e de uma “menor estimativa para o PIB”, que deve ficar em R$ 4,091 trilhões, segundo a previsão oficial.

Na mesma divulgação, o Ministério destacou que o IGP-DI teve estimativa elevada de 6,28% para 7,01% no ano e que a taxa de juros Selic média subiu para 11,74%, ante 11,58% anteriores.

A taxa de câmbio média, por sua vez, caiu de R$ 1,70 para R$ 1,61.