Presidente da GS1 Brasil, João Carlos de Oliveira

A GS1 construirá um centro de inovação ainda em 2012 no Brasil.

Em fase inicial, o projeto ainda não tem detalhes como dimensões e custo definidos. Se pretende, porém, que o centro - primeiro no país - seja um ponto de experiência e aprendizado de novas tecnologias na área de automação.

Em países como Alemanha, Argentina e Espanha já existem centros similares.

"Teremos uma exposição dos padrões, dando uma chance aos nossos parceiros de ver como eles operam, na prática", diz o presidente da GS1 Brasil, João Carlos de Oliveira.

De acordo com Oliveira, os centros tem uma proposta pedagócica. Não adianta, exemplofica o executivo, dar uma aula sobre sincronização de dados sem mostrar.

"Se tu vires ao vivo, como funciona, é outra coisa", resume Oliveira.

Por isso, o centro contará com cenários comuns aos associados da GS1, como gôndolas de supermercado e ambientes de estocagem de produtos, onde soluções como RFID poderão ser demonstradas aos visitantes.

Certos ambientes similares já existentes, diz Olivera, já contam com simulações de ambientes complexos.

"A GS1 Colômbia, por exemplo, tem 10 mil metros quadrados. Aí eles fizeram um supermercado de 500 metros quadrados e uma loja de têxtil de 600 metros quadrados", explica.

Na Alemanha e na Argentina, diz o diretor, os espaços são menores.

“Mas aqui teremos, possivelmente, algo em torno de 500 a 700 metros quadrados, o que é muito bom”, prevê Oliveira.

Quanto ao custo total do projeto, a expectativa é de que os próprios fabricantes cedam equipamentos para o showroom do centro, diminuindo o investimento inicial necessário.

O centro também contará com cursos e consultorias a fim de familiarizar o curso com os projetos.

A Associação Brasileira de Automação (GS1) é o braço brasileiro da organização internacional sem fins lucrativos que tem por objetivo disseminar padrões de identificação, codificação e soluções para a cadeia de suprimentos.

A entidade regulamenta a utilização e centraliza a normatização e a atribuição de numerações aos códigos de barras dos produtos de seus associados.

Atualmente, possui 55 mil associados no Brasil, mais de um milhão no mundo e padrões adotados por 150 países.