O comércio varejista encerrou 2010 com recorde na alta de vendas de 10,9%. Segundo o IBGE, foi a maior alta acumulada desde 2001. A receita nominal cresceu 14,5% no período.

Na região Sul, as altas foram de 11%, no Rio Grande do Sul; 9,3%, Santa Catarina; e 4,8%, no Paraná.

Entre as oito atividades que compõem o relatório, a que mais cresceu na comparação ano a ano foi a de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, com variação de 24,1%, seguida por móveis e eletrodomésticos (18,3%) e material de construção (15,6%).

Segundo o IBGE, a área de informática e escritório foi impulsionada pela queda nos preços dos produtos.

Nos microcomputadores, segundo IPCA, a baixa foi de 12,9% em 2010, proporcionada pela valorização cambial e medidas de incentivo do governo para reduzir a exclusão digital.

Apesar da alta expressiva dos computadores, no geral, os maiores impactos sobre o varejo foram das áreas de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo e móveis e eletrodomésticos.

Para o IBGE, os resultados anuais refletem aumento do poder de compra e expansão do crédito.