Arminio Fraga entra no setor imobiliário

11/05/2010 13:57

A Gávea Investimentos, do ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga, comprou 14,5% da área imobiliária do grupo Odebrecht, de Marcelo Odebrecht, que investe da baixa à alta renda. A sociedade marca a entrada direta da Gávea na  rota dos empreendimentos populares e do programa Minha Casa, Minha Vida.

Tamanho da fonte: -A+A

A Gávea Investimentos, do ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga, comprou 14,5% da área imobiliária do grupo Odebrecht, de Marcelo Odebrecht, que investe da baixa à alta renda. A sociedade marca a entrada direta da Gávea na  rota dos empreendimentos populares e do programa Minha Casa, Minha Vida.

O valor do negócio não foi revelado, mas a aquisição representa o maior investimento da companhia - que tem sob sua gestão um patrimônio de R$ 10,2 bilhões - em negócios de longo prazo, segundo informações do Valor Online.

O investimento faz parte do terceiro fundo de private equity da Gávea, de US$ 1,2 bilhão - que no auge da crise investiu em Cosan e Lojas Americanas e ainda tem mais dois ou três investimentos perto de serem fechados.

Segundo Fraga, a empresa se prepara para a captação de um novo fundo ainda este ano. Há pelo menos dois fundos, voltados ao setor imobiliário, em fase final de captação: Prosperitas e a americana Tishman Speyer.

Debaixo da Odebrecht Realizações Imobiliárias está a Bairro Novo - empresa que nasceu de uma parceria com a Gafisa, que saiu do negócio após a compra da Tenda - que representa cerca de 50% do negócio imobiliário. "Nossa vocação é ser um minoritário engajado", afirma o ex-presidente do BC, que já teve participações em imobiliárias listadas.

A abertura de capital, um segundo passo mais provável após uma associação como essa - até como porta de saída para o fundo - não está descartada.

Com receita de R$ 400 milhões em 2009, a Odebrecht Realizações representa apenas 1% do grupo. Para este ano, a companhia pretende aumentar os lançamentos em 260%, chegando a R$ 2,8 bilhões e alcançar R$ 2,5 bilhões em vendas, alta de 130% sobre 2009. Se alcançar esses números, a receita deve saltar para pouco mais de R$ 1 bilhão.

No segmento popular, a Odebrecht foca atuação no público de zero a três salários mínimos, a base do Minha Casa, Minha Vida. Conta com a parceria do governo em várias esferas, além de processos industriais e construção rápida, para conseguir ser rentável nesse mercado.

Veja também

SP é a 5ª cidade com mais imóveis corporativos

São Paulo é a quinta cidade do mundo que mais constrói imóveis corporativos. É o que revela a pesquisa realizada pela Colliers International, especializada no setor de imóveis corporativos.

RJ: menor taxa de imóveis corporativos vagos

Pesquisa realizada pela Colliers International, especializada em serviços no mercado imobiliário empresarial, apontou a cidade do Rio de Janeiro como o local com o menor número de imóveis corporativos vagos no mundo.

A taxa de vacância, estipulada em 0,6%, refere-se a edifícios considerados padrão A ou A+ pelo mercado imobiliário corporativo.

Imóveis entre 5% e 7% mais caros em 2009
Os imóveis podem ficar, em média, entre 5% e 7% mais caros em 2009, caso o cenário de instabilidade financeira se prolongue. A previsão é do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP).

Além disso, conforme informações da assessoria de imprensa da entidade divulgados pelo site Infomoney, ainda na hipótese que a crise perdure, pode ocorrer uma redução na quantidade de lançamentos imobiliários.