Um projeto de lei que deve entrar na Câmara de Vereadores em março quer criar em Porto Alegre um eixo de empresas tecnológicas numa área do início da Lomba do Pinheiro até o Centro.

Elaborada pela Secretaria do Planejamento Municipal (SPM) e pelo Conselho Municipal de Ciência e Tecnologias (Comcet), a proposta de lei está atualmente em debate no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental (CMDUA).

O incentivo previsto, por enquanto, se limita à flexibilização das regras do plano diretor de algumas regiões da área.

Segundo o secretário do Planejamento do município, Márcio Bins Ely, vantagens fiscais também poderão ser oferecidas posteriormente. A ideia é criar uma área de concentração de TI.

Lomba do Silício...
“Um vale do silício a gente não consegue, mas uma Lomba do Silício, quem sabe”, prevê Ely, em alusão ao Silicon Valey (Vale do Silício), área na Califórnia (EUA) onde se encontram gigantes como Apple, HP e Google – cujos lucros em 2010, somados, são mais que o dobro do PIB de Porto Alegre.

A prima porto-alegrense da Meca tecnológica norte-americana se estenderia por uma área que se inicia no Ceitec – na Lomba do Pinheiro – se esticando pela avenida Ipiranga, abrangendo o Campus do Vale da UFRGS e a PUCRS, onde fica o Tecnopuc.

... é quase toda plana
No mapa da prefeitura, a zona chega ao Centro Histórico de Porto Alegre.

Ely diz que essa área é um “eixo de potencial tecnológico”, tendo as avenidas Ipiranga e bento Gonçalves como espinha dorsal. Do total do terreno, apenas a área do Ceitec é, de fato, uma lomba.

“O Ceitec é como um ponto de partida porque mudou a perspectiva da cidade sobre a área de tecnologia. Começa pela Lomba”, explica o secretário.

O que já tem
Entre os atrativos da região, atravessada pelo riacho Ipiranga, estão a concentração de construções e a infraestrutura já existente.

A Procempa, por exemplo, tem fibra óptica da sua sede nas proximidades do cruzamento das avenidas Ipiranga e João Pessoa, até um posto da EPTC, no final da faixa.

Na mesma via, a CEEE tem uma rede que vai da matriz, no bairro Jardim do Salso, após a avenida Prof. Cristiano Fischer, até a estação próxima do Shopping Praia de Belas, onde o riacho desemboca no Guaíba.

Jà o Ceitec, atualmente se conecta à Procempa via rádio. Segundo a estatal municipal, porém, ainda no primeiro semestre uma rede de fibra da UFRGS com a Rede Nacinal de Pesquisa (RNP), deve abastecer a região. Ou seja, a fibra vai subir a Lomba e, junto com ela, espera Ely, as empresas, ocupando os espaços disponíveis.

Segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS), a Lomba do Pinheiro, por exemplo, foi um dos bairros com um dos maiores números de ofertas de imóveis e áreas para ocupação em 2010.

“É praticamente chegar e ocupar”, diz Ely.

O que não tem
Falta, diz o secretário, é planejamento. Segundo o chefe do planejamento municipal, não existe um regramento para instalação de empresas de TI no plano diretor da cidade.

Isso é o que será encaminhado em março, prevendo incentivos para as empresas no nível de construção, como flexibilização na volumetria das áreas, o que pode dar uma metragem maior área construída.

“Outro bom motivo para atrair a TI é que são empresas que já têm uma consciência ambiental e um foco sustentável forte”, completa Ely.

Confira, abaixo, um mapa com uma reprodução aproximada do que é a área da Repot.


Visualize Repot - Região de Potencial Tecnológico num mapa maior