A produção industrial do Paraná cresceu 24% no comparativo entre agosto de 2011 e o mesmo mês de 2010, registrando o melhor resultado entre as 14 regiões pesquisadas pelo IBGE.

Conforme os dados, o estado foi o único a ter elevação da produção industrial com dois dígitos no período analisado.

A pesquisa, divulgada nesta quinta-feira, 06, indica que os setores que mais contribuíram para o crescimento paranaense foram edição e impressão, veículos automotores e refino de petróleo/produção de álcool.

Crescimento ou recuperação?
Para o analista socioeconômico do IBGE Rodrigo Lobo, entretanto, não há nada de anormal na elevação destes setores no Paraná.

“Não há uma ampliação fora do comum, o que houve foi uma grande retração em agosto de 2010. Por isso os índices foram atípicos em 2011”, afirma o analista.

Segundo ele, o resultado não se repetiria se a comparação fosse feita com qualquer outro mês do ano passado, que não agosto.

Para exemplificar, o especialista cita o caso do setor de refino de petróleo e produção de álcool, cuja expansão ano/ano registrada em agosto passado foi de 176,4%.

“No ano anterior, paralisações em empresas do setor fizeram com que a produção industrial caísse 61,3%”, destaca Lobo.

Já no segmento de edição e impressão, a alta recentemente registrada foi de 120,9%, quando em agosto de 2010 o índice era de baixa de 12%.

O estado, segundo Lobo, também teve o melhor desempenho das regiões pesquisadas na comparação entre agosto e julho de 2011, com elevação de 7% na produção industrial.

No acumulado de janeiro a agosto deste ano, o Paraná registrou crescimento de 4,8%. Nos últimos 12 meses, a alta fica em 5,8%.

No país
A comparação da produção industrial de agosto de 2011 com o mesmo mês de 2010 demonstrou que outros sete estados registraram aumento na produção industrial, além do Paraná.

São eles: Rio Grande do Sul, Goiás, Amazonas, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

Os piores ano/ano
Na comparação ano/ano realizada pelo IBGE, o estado brasileiro de mais baixo desempenho foi o Ceará, com retração de 13,8%.

Santa Catarina, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo também tiveram queda.

Os piores mês/mês
Ainda de acordo com o IBGE, dez dos 14 estados analisados tiveram queda na produção industrial em agosto de 2011 em relação ao mês de julho.

O resultado foi negativo no Rio Grande do Sul, Amazonas, Pará, Pernambuco, São Paulo, Goiás, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo e na Região Nordeste.

O pior resultado foi de Goiás, com retração de 6,6%.