Em 2009, o mercado brasileiro de serviços de TI cresceu cerca de 4,47%, fechando em pouco mais de R$ 19 bilhões, conforme o estudo Brazil IT Services Tracker 2009, da IDC Brasil, que analisa cinco categorias: consultoria, implementação e suporte, educação e treinamento, integração e desenvolvimento e outsourcing.

Para 2010, a previsão é de que o crescimento deste segmento mantenha média semelhante a do ano passado.

Em 2009, o setor de finanças despontou como a vertical que mais ampliou, alcançando quase dois dígitos de crescimento.

Já manufatura, apesar de ser umas das verticais mais representativas em termos de volume de investimentos em serviços de TI, sofreu com a crise e mostrou sinais de recuperação mais lenta do que as demais no segundo semestre do ano, encerrando 2009 com decréscimo.

Segundo Bruno Pagotto Tasco, analista do mercado de IT Services da IDC, a oferta de serviços que mais se destacou em 2009, foi a de outsourcing de infraestrutura.

“A busca por redução de custos e otimização de recursos estimulou as empresas a buscarem a terceirização de sua infraestrutura e seus aplicativos, o que puxou fortemente o crescimento na oferta de ambos serviços”, avalia ele. “Hospedagem de aplicação e de infraestrutura somaram juntos um crescimento de quase 30% em 2009 e a tendência é que isso continue em 2010”, declara.

As empresas de grande porte - mais de 500 funcionários - foram responsáveis por cerca de 60% dos investimentos em serviços de TI no ano passado.

Ainda segundo Pagotto Tasco, os investimentos feitos pelo governo e por instituições de educação, que representaram cerca de 10% dos valores aplicados em serviços de TI em 2008, mantiveram representatividade semelhante em 2009, com ligeira queda.
 
Para 2010, a IDC vê como principais tendências do segmento de serviços as ofertas de outsourcing, além de cloud e virtualização, principalmente devido ao apelo de redução de custos e otimização de recursos que propõem às empresas.