Com crescimento de 11,3% nas Américas do Sul e Central, a PricewaterhouseCoopers International (PwC) registrou faturamento bruto consolidado de US$ 26,6 bilhões no ano fiscal encerrado em 30 de junho de 2010. A região foi a terceira de maior crescimento.

Segundo a empresa de auditoria e consultoria, o resultado, em dólar, é 1,5% maior do que o obtido no ano anterior

Refletindo a recuperação do cenário econômico ao longo do ano, a receita com consultoria em negócios foi de US$6.2 bilhões, um crescimento de 9,5%. Em negócios, a consultoria deve se manter como a principal área de crescimento futuro.

Os serviços relacionados à melhoria de desempenho tiveram um significativo aumento de demanda registrando aumento de 15% sobre os 12 meses anteriores.

Na área de auditoria, a variação foi menor – 0,1 em relação a 2009. Os US$ 13,3 bilhões de receita, segundo a PwC, não refletiram o aumento da demanda pelo serviço, em função da crescente pressão sobre os preços em virtude do acirramento da competição no mercado.

“A economia global levou mais tempo do muitos de nós prevíamos para se recuperar e o ritmo lento dos negócios em muitas regiões do mundo ainda traz consequências para os clientes e para as firmas PwC " declarou Dennis M. Nally, CEO da PricewaterhouseCoopers International.

Na Ásia, o crescimento da PwC foi de 11,7% na Ásia e no Oriente Médio e África,16,9%. O faturamento permaneceu praticamente estável nos países da Europa Ocidental (-0,8%) e também na região da América do Norte e Caribe (-0,9%).