O mercado reduziu suas previsões para a inflação e a Selic neste ano, após a divulgação de uma série de dados em arrefecimento ou abaixo do esperado e de o Banco Central diminuir o ritmo do aperto monetário.

O prognóstico para a alta do IPCA - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo este ano caiu pela quarta semana seguida, para 5,27%, ante projeção anterior de 5,35%, mostrou o relatório Focus do Banco Central nesta segunda-feira, 02.

A previsão para o avanço do IPCA no ano que vem foi mantida em 4,8%, segundo informações da Reuters.

Já a meta de inflação de 2010 e 2011 tem centro em 4,5% e tolerância de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.  A estimativa para a inflação em 12 meses, por outro lado, subiu, para 4,97% contra 4,86% na semana anterior.

O prognóstico para a Selic no final deste ano recuou para 11,5%, ante 11,75% na semana anterior, na segunda queda seguida desde que o Copom optou por elevar a Selic em 0,50% em julho após duas altas anteriores de 0,75% para 10,75%.

Na ocasião, o Copom abrandou o tom sobre a ameaça inflacionária, levando o mercado a prever que o fim do ciclo de aperto pode estar próximo.

Quanto à previsão para o crescimento do PIB este ano, foi mantida em 7,2% e para 2011 ficou estável em 4,5%.

Também a projeção para o superávit da balança comercial de 2010 foi ligeiramente revista, para US$ 15,10 bilhões, ante US$ 15,41 bilhões na semana anterior. Para 2011, foi elevada para US$ 8,5 bilhões, contra os US$ 8 bilhões anteriores.

O prognóstico para o câmbio neste ano permaneceu em R$ 1,80, e R$ 1,85 para 2011.