Os brasileiros que não pagam a fatura integral do cartão e entram no chamado crédito "rotativo" pagam possivelmente a maior taxa de juros do mundo, segundo levantamento da Pro Teste.

No estudo, divulgado pelo jornal Folha de S. Paulo, a entidade constatou que o brasileiro paga juros de 237,9% ao ano.

O valor foi comparado com taxas cobradas na Argentina, Chile, Colômbia, Peru, Venezuela e México.

Mesmo em países com taxa básica de juros acima da brasileira (11%), como Argentina (12,5%) e Venezuela (24%), têm juros do cartão menores que os do Brasil.

Na Venezuela, o rotativo custa 29% ao ano e na Argentina, 50%.

Segundo Hessia Costilla, economista da Pro Teste, mesmo que a taxa brasileira fosse cortada pela metade ainda seria mais que o dobro da segunda maior taxa entre os países pesquisados.

De acordo com a Pro Teste, os cartões de crédito têm sido o maior fator de endividamento dos consumidores porque as taxas do rotativo "se tornam impagáveis".

Leia a matéria completa da Folha nos links relacionados abaixo.