Vulcabras Azaleia, de partida para a Índia?

01/07/2011 17:25

A Vulcabras Azaleia demitiu 3 mil dos seus 18 mil funcionários em Itapetinga, município a 580 km de Salvador, na Bahia.

De acordo com informações publicadas pelo jornal baiano Correio, existe a possibilidade da empresa fechar totalmente a fábrica e transferir todos os empregos para Nova Déli, na Índia.

Tamanho da fonte: -A+A

A Vulcabras Azaleia demitiu 3 mil dos seus 18 mil funcionários em Itapetinga, município a 580 km de Salvador, na Bahia.

De acordo com informações publicadas pelo jornal baiano Correio, existe a possibilidade da empresa fechar totalmente a fábrica e transferir todos os empregos para Nova Déli, na Índia.

O fechamento da operação baiana, aberta nos anos 90, seguiria os passos do que já aconteceu no Rio Grande do Sul, onde 800 funcionários foram demitidos e a produção levada para a Índia.

Em 2008, a empresa já havia fechado uma fábrica em Portão, demitindo 250.

Atualmente a empresa tem 44 mil funcionários em quatro unidades instaladas no Nordeste e na Argentina.

A Bahia atraiu empresas calçadistas durante os anos 90 com uma combinação de salários mais baixos e incentivos fiscais, cuja constitucionalidade está sendo atualmente contestada pelo Supremo Tribunal Federal.

O salário médio do operário na Índia é de US$ 85.

Veja também

Paquetá negocia compra da Via Uno

A Paquetá está negociando a compra da concorrente Via Uno, num acordo que deve ser fechado em questão de dias, segundo matéria publicada nessa sexta-feira, 27, no Jornal do Comércio.

O negócio foi confirmado pelo presidente da Paquetá, Adalberto José Leist, ao jornal.

Azaléia fecha em Parobé e demite 800

A fabricante gaúcha de calçados Azaléia fechou sua fábrica localizada em Parobé, no Vale do Sinos, resultando na demissão de 800 colaboradores.

Perto: nova fábrica fora do RS

A Perto vai decidir o local de construção de uma nova fábrica de unidades de autoatendimento bancário com um investimento total de R$ 38 milhões nos próximos três meses, muito provavelmente fora do Rio Grande do Sul.

Assintecal: TI para setor coureiro–calçadista

A Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal) lança a Materioteca Virtual, ferramenta de pesquisa de materiais interativa que será apresentada durante o Fórum de Inspirações Inverno 2010, que acontece em agosto em quatro cidades brasileiras: São Paulo (05 e 06), Novo Hamburgo (11,12 e 13), Belo Horizonte (19) e Fortaleza (25).

Contax busca mais espaço em POA
A Contax já busca outro local em Porto Alegre para instalar o segundo contact center.

A revelação é de James Meaney, presidente da companhia, que esteve na capital gaúcha nesta quarta-feira, 02, para inaugurar a primeira operação da Contax na região Sul.

Meaney não deu maiores detalhes sobre quando será inaugurado o novo local, mas adiantou que a capacidade disponível já está quase toda ocupada. São 4 mil contratados, restando espaço para mais 1 mil.
Grendene cresce menos que o esperado
A Grendene, empresa calçadista gaúcha, anunciou que o crescimento da receita no segundo trimestre será afetado pelas vendas do mês de junho, que estiveram abaixo das expectativas da empresa.

Em maio, a companhia divulgou meta de crescer 17% no período, porém com base nas novas informações, a expansão na receita bruta deverá ser de 10%.

A empresa aponta a inflação em itens básicos, como alimentação, como principal causa da desaceleração interna.
Arezzo vai comprar quatro

A Arezzo está em processo de aquisição de quatro empresas brasileiras do setor calçadista, informa a revista Exame.

O vice-presidente do grupo gaúcho, Alexandre Birman, não confirma quando serão fechados os negócios nem quem são os adquiridos.

Oito meses atrás, a Arezzo vendeu 25% das ações do grupo ao fundo de investimento Tarpon All Equities.

Grupo foca couro e calçado
Dez empresas gaúchas e uma paranaense estão dando os primeiros passos para a formação de um consórcio brasileiro focado em exportação de software para a indústria de couro e calçados.
Artecola quer dobrar negócios até 2010
O Grupo Artecola, de Campo Bom-RS, vem numa maré de profissionalização da gestão que, se tudo der certo, tende a culminar em um crescimento ao dobro dos negócios até 2010.

Para tanto, a empresa aposta em compras: até agora, foram cinco companhias adquiridas, número que deverá aumentar nos próximos dois anos, com o anúncio de uma nova joint venture para breve, afirma à Revista Amanhã o presidente do Grupo, Eduardo Kunst.
Azaléia encerra operações em fábrica gaúcha
A Vulcabrás, controladora da fabricante de calçados Azaléia, vai encerrar as operações em uma das unidades gaúchas, localizada em Portão.

O anúncio foi feito aos 250 funcionários nesta quinta-feira, 11, que poderão optar entre transferir-se para a sede, em Parobé-RS ou rescindir contrato. 

Replay