Poster Deep Troath. Fonte: Wikipedia.

Tamanho da fonte: -A+A

Acessar redes sociais é mais perigoso do que visitar sites de conteúdo pornográfico, do ponto de vista da quantidade de links maliciosos [malícia nesse caso se refere a sites falsos ou infectados por vírus, certo?].

É o que aponta um levantamento da Kaspersky Lab, sites pornográficos representam 14% dos links maliciosos, contra 20% de redes sociais como Facebook, Twitter ou Google+.

 A maioria dos links maliciosos descobertos pelo time de analistas da Kaspersky Lab em redes sociais estão no Facebook e em seu clone russo, o VKontakte.

Em um ranking de métodos mais populares para disseminação de malware, os cibercriminosos preferem o popular serviço de download de vídeos, YouTube, onde estão hospedados quase 1 em cada 3 (31%) dos links maliciosos encontrados pela Kaspersky Lab.

Os serviços de busca continuam a ser um canal importante de distribuição de links maliciosos, com 22% dos golpes na internet, realizados por meio da manipulação de resultados no Google e de outros motores de busca.