A Lojas Americanas fará um aumento de capital privado de R$ 1 bilhão em sua controlada B2W.

Segundo o jornal Valor Econômico, a medida - anunciada como forma de acelerar o crescimento da varejista do comércio eletrônico - poderá resultar em um aumento considerável da fatia de controle da Americanas e até mesmo na incorporação da empresa.

A operação prevê a emissão de 46,253 milhões de ações, ao preço de R$ 21,62 cada.

Esse valor é a média ponderada dos últimos sete pregões com um desconto de 10%. Nessa quarta-feira, 23, os papéis encerraram o pregão em baixa de 2,1%, cotados a R$ 22,34.

Em comunicado, a Lojas Americanas afirma que o desconto foi dado como forma de estimular a adesão dos acionistas minoritários à operação.

No entanto, a controladora também terá o desconto para comprar os papéis e já informou que vai subscrever a totalidade de ações a que tem direito, para não ter sua fatia diluída na empresa.

Ou seja, do R$ 1 bilhão do aumento de capital, cerca de R$ 565 milhões virão da controladora. Os R$ 435 milhões restantes terão de vir dos acionistas minoritários, que acumulam anos de descontentamento com a B2W.

Analistas ouvidos pelo jornal acreditam que são grandes as chances de a adesão à operação ser pequena. E a Americanas informa no comunicado que ficará com os papéis dos acionistas que não acompanharem a operação.

Desta forma, ela deseja e pode aumentar sua fatia na B2W, o que facilitará uma eventual incorporação da varejista virtual, operação aventada pelo mercado desde o fim do ano passado.

Leia a matéria completa do Valor nos links relacionados abaixo.