Apps estariam divulgando informações dos usuários da rede Mark Zuckerberg

Mais uma vez o Facebook se vê às voltas com problemas para manter a privacidade de seus usuários. Agora, a brecha está em aplicações no site.

Pelo menos 25 empresas estão envolvidas, incluindo as desenvolvedoras de Farmville e Texas Holdem Poker.

Dezenas de milhões de usuários foram afetados, segundo o jornal norte-americano Wall Street Journal (WSJ).

Matéria da publicação do último domingo revela que nomes de cadastrados e de amigos estão sendo fornecidos a companhias de publicidade e acompanhamento de tráfego de dados pela internet sem aviso aos seus donos.

Segundo o jornal, essas informações estão sendo usadas para construir perfis e, em alguns casos, até mesmo acompanhar a navegação do internauta.

Entre os afetados, diz o WSJ, estão, inclusive, pessoas que optaram por regras mais estritas de privacidade.

Fantasma da diáspora
Em maio deste ano o Facebook foi alvo de um boicote - não muito bem sucedido - em função de mudanças nas regras de privacidade ocorridas em dezembro de 2009.

Nas alterações do final do ano passado, algumas informações que até então eram privadas foram tornadas públicas para todos os usuários.

A ideia não agradou os 350 milhões de cadastrados à época. O dia 31 de maio foi marcado como o “Quit Facebook Day” (Dia de largar o Facebook), e uma rede "alternativa" chegou a ser criada, com o nome de Diaspora.

Cerca de uma semana antes, Mark Zuckerberg, o criador do site, voltava atrás e lançava novos controles de privacidade.

Na ocasião, a medida deu certo. Hoje, o Facebook conta com 500 milhões de internautas.

Medidas a caminho
Oferecendo uma resposta mais rápida ao incidente mais recente, um porta-voz do Facebook afirmou ao Wall Street Journal que o site está tomando medidas para "limitar drasticamente" a exposição das informações pessoais de seus usuários, e reconheceu que uma identificação de usuário do Facebook pode ser compartilhada "inadvertidamente pelo browser ou por uma aplicação".

Segundo o porta-voz, a companhia vai lançar nova tecnologia para resolver o problema em breve.

Um dia após a divulgação da brecha, o Wall Street Journal reportou o desaparecimento de algumas aplicações, supostamente com problemas.