O Google tem um plano para angariar cadastrados na sua nova iniciativa social, o Google +: celebridades.

Segundo e-mails internos do Google revelados à rede de TV norte-americana CNN por uma fonte não revelada, o Google + quer ficar mais conhecido nos browsers de Hollywood.

Entre as estratégias para angariar adeptos famosos está um sistema de verificação de identidade, que evitaria perfis falsos, similar ao que já existe no Twitter, com o selo “verified”.

O método de verificação, diz a CNN, ainda está sendo estudado.

Uma das alternativas seria pedir às celebridades que se cadastram no Google que enviem um fax com uma cópia da carteira de motorista ou de identidade para a sede do Google, ou contratar agentes que pudessem contatar os famosos para confirmar os dados.

No Twitter, o método é contatar a pessoa e verificar as informações da conta, para então exibir o selo.

Correr atrás de famosos é uma estratégia que já se provou válida.

O próprio Twitter passou a chamar mais atenção da mídia quando o ator Ashton Kutcher promoveu uma corrida à marca de um milhão de seguidores contra a própria CNN.

Kutcher chegou a colocar um outdoor numa estrada dos Estados Unidos anunciando seu perfil (@aplusk). No rastro do ator vieram Oprah Winfrey – que tuitou ao vivo de seu programa de TV com um dos cofundadores do microblog – e o próprio Barack Obama.

A premissa é que, uma vez que os famosos estejam lá, os fãs vão atrás, apenas para seguir os perfis das celebridades.

Hoje, o Twitter tem mais de 300 milhões de usuários. O Google, com três semanas de vida, tem uma “população” de cadastradas estimada em 20 milhões.