Usuários com conhecimento básico de HTML podem alterar os valores dos cupons de pagamento do Peixe Urbano.

Basta acessar o código fonte no momento da integração com o gateway de pagamento PagSeguro, alterar o valor e seguir adiante.

De acordo com fontes ouvidas pelo Baguete, a fraude é possível porque o Peixe Urbano optou pelo sistema mais simples de conexão com o PagSeguro, que não bloqueia o acesso a esse tipo de informação.

A possibilidade de emitir cupons com descontos que nenhum vendedor daria não implica, no entanto, que os eventuais fraudadores consigam ter acesso aos serviços desejados.

É o que garante Letícia Leite, diretora do site de compras coletivas, que confirmou à reportagem do Baguete Diário a possibilidade da alteração.

“Nosso sistema monitora as compras. Fraudes são detectadas e as compras, canceladas. Os fraudadores têm o perfil apagado e nós registramos B.O”, afirma Letícia.

De acordo com a executiva, o volume de tentativas de fraudes cometidas não chega a “0,01%”.

A quantidade de tentativas e o fato de que eventuais sucessos não possam prejudicar clientes justificam a manutenção do processo atual, na opinião da diretora do Peixe Urbano.

O Peixe Urbano foi um dos primeiros sites de compras coletivas a ser aberto no Brasil, estando hoje presente em 37 cidades.

A empresa teve 5% do seu capital comprado pelo apresentador de TV Luciano Huck e uma fatia não revelada adquirida pelo fundo de venture capital norte-americano Benchmark Capital.

Se um site líder de mercado está exposto a riscos – ainda que mínimos, se os processos de controle descritos por Letícia são executados com precisão – fica a pergunta do que pode acontecer nos quase 2 mil portais do gênero atualmente em funcionamento.