Tamanho da fonte: -A+A

A semana está sendo ruim para o conteúdo gratuito na internet. Google e Apple anunciaram sistemas de cobrança pelo conteúdo de jornais e revistas online.

O modelo de cobrança, porém, tem várias diferenças em relação ao da rival.

No caso do Google, o último a anunciar o pagamento, o sistema pode ser utilizado em aplicativos de smartphones e tablets, além de PCs. O valor da assinatura que fica com o Google é de 10%. A ideia é facilitar o acesso a dados dos leitores, como endereço e e-mail.

O do Google permite que as companhias adotem diversos sistema de cobrança, desde pela leitura de um único artigo até a assinatura anual.

Grupos editoriais como Axel Springer (que publica o Bild), e o Prisa (do El País), já anunciaram a intenção de usar o serviço.

Já no caso da Apple, a primeira grande diferença é o preço. Editores deixarão 30% do valor da assinatura com a empresa de Steve Jobs. Além disso, as publicações somente poderão ser baixadas via iTunes para iPad e iPhone.

A decisão de lançar um serviço amplo de assinaturas surge semanas depois que a Apple se aliou à News Corp para lançar o The Daily, a primeira publicação com assinatura disponível na iTunes.